Farol cósmico desaparece e confirma relatividade de Einstein

Um pulsar desapareceu de nossa vista, mas seu desaparecimento está agradando os cientistas, uma vez que é consistente com as previsões feitas pela teoria geral da relatividade de Einstein.

PSR J1906 + 0746 é um pulsar – uma estrela de nêutrons que emite feixes de radiação intensa. Como outros pulsares, este gira muito rapidamente, fazendo com que estes feixes varram todo o céu de uma forma comumente comparada a um farol. A galáxia está quase certamente cheia de pulsares que não conhecemos porque seus feixes passam acima ou abaixo da Terra.

Os pulsares mais cientificamente valiosos são aqueles em sistemas binários, trancados em órbitas mútuas com outras estrelas. O pulsar B1913 + 16 é tão importante que rendeu aos seus descobridores um Prêmio Nobel por servir como um laboratório natural para confirmar a teoria da relatividade geral; a descoberta mostrou que a distância orbital entre as duas estrelas decai por meio da perda de energia.

Farol cósmico desaparece e confirma relatividade

PSR J1906 + 0746 orbita em torno de sua companheira em apenas 3,98 horas, a segunda órbita pulsar mais rápida conhecida. Um artigo no The Journal estima sua massa como 1,29 vezes maior do que o sol, com seu companheiro sendo pouco maior que 1,32 massas solares.

A proximidade das órbitas e à semelhança da massa das duas estrelas distorce o espaço-tempo tão fortemente que desequilibra PSR J1906 + 0746, balançando seu eixo através do céu. Este processo, conhecido como precessão geodésica, muda a direção dos feixes também. Os astrônomos perceberam que com o tempo os feixes deixaram de passar por toda a Terra.

Uma vez que nem PSR J1906 + 0746, nem a sua companheira são detectáveis através de outros meios, isso causou uma corrida urgente para recolher o máximo de informação possível antes de perdemos o sinal. Cinco dos maiores radiotelescópios do mundo foram pressionados a realizar o serviço, produzindo uma riqueza de dados que está sendo analisada ​​após o feixe em grande parte desaparecer de vista em 2009.

Os autores observam que é raro testemunhar essas mudanças. “Na grande maioria dos sistemas de pulsar binário observados, o pulsar é o primogênito objeto compacto”, dizem eles. Esses objetos têm “rotação muito estável e evoluem de forma muito lenta.” As mudanças observadas em PSR J1906 + 0746 decorrem do fato de que o companheiro provavelmente evoluiu para uma estrela de nêutrons ou anã branca antes do pulsar, um filhote astronômico de 112 mil anos de idade, atingir o seu estado atual.

As circunstâncias incomuns deram aos astrônomos uma oportunidade de usar a relatividade geral para prever a taxa de precessão e testar a teoria. Os resultados foram perfeitos, proporcionando mais uma confirmação da relatividade geral contra as teorias concorrentes da gravidade. Dr. Joeri van Leeuwen, do Instituto Holandês para a Rádio Astronomia diz: “Esta é a primeira vez que um jovem pulsar desapareceu através da precessão.” [Space.com]

Veja também: Mais do autor

Comentários

Carregando...