Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Estudo aponta que jogar videogame pode melhorar sua audição

Os jogos de vídeo ganham uma má reputação quando o assunto chega à relação com os estudos, foco e concentração, principalmente entre os pais dos jovens que, a cada dia, demonstram-se cada vez mais interessados nos novos lançamentos do mercado.

Isso porque o videogame promove um estilo de vida sedentário, sendo que os excessos nunca são de fato bons – seja para o que for. Mas a verdade é que, os eletrônicos amigos da juventude podem de fato proporcionar benefícios múltiplos às pessoas.

Estudos recentes mostraram que os jogadores são melhores aprendizes e que jogar regularmente pode aumentar a quantidade massa encefálica nas partes do cérebro que controlam a consciência espacial, a memória e o pensamento estratégico. Novas pesquisas publicadas pelo IFL Science ainda sugerem que jogar um jogo de vídeo pode até ajudar as pessoas mais velhas que sofrem de perda de audição a melhorar suas habilidades auditivas.

De acordo com a Hearing Loss Association of America, cerca de 48 milhões de norte-americanos (20 por cento da população) relatam alguma forma de perda auditiva ao decorrer do tempo. Em circunstâncias mais severas, isso pode ter um efeito devastador sobre a vida social e a saúde mental de um indivíduo.

“Não ouvir pode levar ao isolamento social e sabemos que as situações sociais são uma verdadeira fonte de vida para a saúde emocional”, disse Daniel Polley, professor associado de Otorrinolaringologia da Harvard Medical School, à CNN.

“Caso o convívio social seja interrompido, isso pode levar a um amplo espectro de declínio cognitivo à medida que envelhecemos”.

Sabemos que existem aparelhos auditivos, que amplificam sons ao redor. O problema com os aparelhos auditivos é que eles não ajudam os pacientes a distinguirem entre diferentes ruídos. Isso significa que ainda é muito difícil ouvir as pessoas e continuar uma conversa em um restaurante lotado, por exemplo, ou ouvir seu nome ser chamado em uma festa.

Para resolver este problema, Polley e os parceiros criaram um jogo que ajuda seus jogadores a filtrarem diferentes ruídos (especialmente a fala) em ambientes de intenso estímulo auditivo. Os resultados são promissores, envolvendo os mecanismos cerebrais e não propriamente do aparelho, foram publicados na revista Current Biology.

Para completar o jogo, os jogadores tinham de resolver um quebra-cabeça escutando diferentes tipos de sons. Esses tons ajudam os jogadores a traçar uma peça de quebra-cabeça escondida em uma tela de tablet. Para tornar as coisas mais complicadas, o nível de ruído de fundo aumenta ao decorrer do jogo, de modo que os tons em mudança tornam-se cada vez mais difíceis de serem distinguidos.

Depois de oito semanas, aqueles que jogaram o jogo durante três horas e meia diariamente foram capazes de identificar corretamente 25 por cento a mais de palavras em uma determinada frase do que aqueles que usaram um jogo de efeito placebo.

Estudos maiores precisam ser feitos para confirmar esses achados e os pesquisadores também admitem que isso, obviamente, não é uma solução permanente para o problema. Depois de pararem de jogar, as habilidades auditivas dos participantes do teste voltaram aos níveis pré-experimentais. Isso significa que se este jogo fosse para o mercado, as pessoas teriam que jogá-lo regularmente para colher os benefícios.

[IFL Science]

Comentários
Carregando...