Estudante recupera fotos de 50 anos atrás em vilarejo abandonado, e vai atrás de seus donos

As fotografias, principalmente as mais antigas, muitas vezes representam a única forma de conhecermos o passado e termos uma ideia de como eram as coisas antigamente. E se hoje em dia é cada vez mais fácil tirar uma foto e eternizar um momento, no passado as coisas não eram bem assim.

Sabendo disso, o estudante de fotografia Victor Galusca, da Moldávia, decidiu que iria tentar encontrar as pessoas que apareciam em uma série de fotos antigas, encontradas por acaso. Os retratos foram recuperados a partir de negativos encontrados na casa do antigo fotógrafo Zaharia Cușnir, que era o único profissional do seu ramo na cidade de Roșietici, na Moldávia.

Até o momento, Victor conseguiu encontrar seis pessoas que foram fotografadas por Zaharia, há mais de 50 anos.

Veja:

O homem no meio desta foto é Zaharia Cușnir, o único fotógrafo que vivia na cidade de Roșietici no seu tempo. Por ser o único fotógrafo, ele registrou vários moradores da cidade naquela época, mais de 50 anos atrás.

zahariacusnir

Confira as pessoas que já foram encontradas pelo estudante Victor Galusca:

Axenia Bulhac.

“Ela soube da foto porque seus familiares viram o retrato na Internet. Quando eu dei a ela esse quadro, como presente de Natal, ela ficou muito feliz, e começou a procurar um lugar na casa para pendurá-lo. Eu sei que ela trabalhava em uma creche, e cuidava das crianças locais. Não conseguimos conversar muito porque a sua audição é debilitada. Nós compartilhamos uma xícara de chá e eu dei a ela o retrato”.

zahariacusnir

zahariacusnir

Tamara Cușnir

“Ela é uma parente distante de Zaharia, e vivia no mesmo vilarejo. Ela se apaixonou com um contador que vivia viajando a serviço do Exército Soviético. Eventualmente, no entanto, ele encontrou outra mulher e Tamara perdeu contato com ele. Mas o romance não foi esquecido, e ela ainda guarda uma foto do rapaz com ela. Depois que me encontrei com Tamara, consegui encontrar o contador vivendo em outro vilarejo. Seu nome é Vasile Tokarchuk”.

zahariacusnir

zahariacusnir

Vasile Tokarchuk

“Ele tinha certeza que iria se casar com Tamara. Eles costumavam passar as tardes conversando na beira de um rio, até o anoitecer. Até mesmo o pai da garota queria que ele se casasse com ela. Um dia, porém, eles tiveram uma briga, e ele decidiu que eles não dariam certo”.

zahariacusnir

Aurel Sarmaniuc

“Ele é uma das 300 pessoas que ainda vivem no vilarejo de Rosietici, mas ele e seu filho pensam em se mudar para a Alemanha, ou qualquer outro lugar para trabalhar. Seu filho possui 200 ovelhas, e está ficando difícil de administrar a criação. Ele diz que os funcionários que ele contratou eram todos bêbados, e que está ficando difícil para ele fazer o trabalho todo sozinho. Sarmaniuc e sua esposa adoraram ver a fotografia”.

zahariacusnir

zahariacusnir

Sergiu Cebotari

“Quando eu mostrei a foto para ele, ele começou a chorar. Ele trabalhou durante toda a sua vida como carteiro. Agora ele está muito fraco, e passa o tempo todo deitado na sua cama”.

zahariacusnir

zahariacusnir

Vera Borsh

“Cusnir fotografou ela apenas duas vezes, então ela não se lembra muito bem dele, mas lembra de quando essa foto foi feita. Ela fez esse vestido por conta própria, então procurou o fotógrafo assim que terminou, para que ele tirasse uma foto dela usando a sua roupa nova”.

zahariacusnir

Victor diz que encontrou todas essas fotogafias de forma acidental, enquanto fazia um documentário em um vilarejo quase totalmente abandonado na Moldávia. “Era como um cemitério, com muitas casas abandonadas”, disse o estudante.

De acordo com ele, em uma das casas ele acabou encontrando os negativos das fotos, e ficou curioso para revelá-los.

zahariacusnir

zahariacusnir

“Eu me lembro do sentimento que tive enquanto coletava todos os negativos em uma caixa. Mas eu não sou poeta, e não sei como descrever esse sentimento. Tudo que posso dizer é que por muitos anos eu tive um sonho recorrente, em que coletava um tesouro de dentro do lixo. E deste dia em diante, nunca mais tive esse sonho”, revelou Victor, que agora se dedica em encontrar o máximo possível de pessoas que foram fotografadas por Zaharia Cușnir.

Victor criou um site para disponibilizar as imagens, em uma tentativa de encontrar seus donos, e você pode acessá-lo clicando aqui.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.