Pular para o conteúdo

Estes enormes túneis foram escavados por uma preguiça gigante que viveu há 10.000 anos no Brasil

O professor de geologia Heinrich Frank estava explorando um túnel misterioso descoberto em um canteiro de obras em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, quando se deparou com algo diferente de qualquer formação geológica que já havia visto.

O túnel foi cavado por uma preguiça gigante que viveu há 10.000 anos e era diferente de qualquer túnel que ele já havia visto antes. O túnel tinha uma seção transversal circular ou elíptica, que e subia e descia, e tinha marcas de garras nas paredes. Frank, que trabalha como professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, percebeu que não se tratava de uma formação natural e que deve ter sido escavada por um ser vivo.

Frank, que ficou fascinado com essa descoberta, decidiu explorar mais e ver se havia mais desses túneis. Ele manteve sua promessa e voltou ao canteiro de obras em algumas semanas e começou a explorar. Para sua surpresa, descobriu que havia milhares desses túneis na região.

Estes enormes túneis foram escavados por uma preguiça gigante que viveu há 10.000 anos no Brasil

Muitos deles se estendem por centenas de metros e têm inúmeras ramificações, e o maior deles tem impressionantes 600 metros de comprimento, 1,80 metro de altura e até 1,5 metro de largura!

Frank, que não conseguia encontrar uma explicação para a existência desses túneis, decidiu procurar outros túneis para descobrir a verdade. Até hoje, Frank e outros pesquisadores encontraram mais de 1.500 túneis só no estado do Rio Grande do Sul, além de outras centenas em Santa Catarina. Esses túneis são conhecidos como “paleotocas” e são um mistério para os cientistas.

Frank e sua equipe não têm certeza se as extensas cavernas foram usadas para escapar do clima, predadores ou umidade, mas mesmo essas explicações parecem improváveis. Afinal, uma toca muito menor serviria perfeitamente para esses propósitos, não é?

Frank descobriu que a principal evidência para a existência desses túneis são as profundas marcas de garras encontradas por ele nas paredes de paleotocas. A maioria dos cientistas agora concorda que eles só poderiam ter sido feitos por uma preguiça terrestre gigante (Megatério), e não por tatus gigantes menores, como alguns outros sugeriram.

Megatherium americanum

Megatherium americanum é o nome científico de uma espécie extinta de preguiça-gigante. O nome significa “grande besta da América”. Mas, apesar dessas criaturas se estenderem até 6 metros e pesarem até 5 toneladas, uma única preguiça terrestre teria passado grande parte de sua vida dedicada inteiramente à construção de túneis tão grandes e extensos quanto essas tocas. Então, por que fazer isso?

Megatério

Esqueleto de megatério

Será que vários indivíduos herdaram as tocas ao longo de gerações e continuaram adicionando à estrutura para torná-la tão grande? Novamente, isso é algo que os pesquisadores precisarão confirmar por meio de observações adicionais.

Frank e sua equipe estão tentando descobrir o propósito desses túneis. Eles estão tentando entender por que uma preguiça gigante gastaria tanto tempo e energia cavando esses buracos. Eles também estão tentando entender a evolução dessas criaturas e como elas se tornaram tão grandes.

A descoberta dessas paleotocas abriu toda uma nova área de pesquisa para os cientistas e trouxe à tona muitas novas questões e mistérios. É um lembrete de quão pouco sabemos sobre o passado e quanto ainda há para descobrir. Também destaca a importância de preservar esses túneis antigos e as informações valiosas que eles contêm.