Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Alguns dos animais mais odiados do mundo são os insetos. Estes pequenos seres invadem nosso espaço doméstico, estragam a nossa comida, entram em nossas camas, caem do teto e rastejam sobre nossos pés.

Alguns deles também mordem e picam. Eles são nojentos, chatos e assustadores. É quase engraçado como uma criatura tão pequena pode trazer tantas emoções diferentes em seres humanos. Mas podemos desenvolver certas ligações com os insetos? Estes três artistas de todo o mundo estão tentando fazer isso, colaborando com estes pequeninos, a fim de criar um tipo incomum de arte.

Hubert Duprat

O nosso primeiro artista é o francês Hubert Duprat, que trabalha com as larvas caddisfly (um tipo de mariposa) desde o início de 1980. As larvas caddisfly vivem em água doce e são conhecidas por construírem casulos protetores elaborados usando fragmentos de madeira, areia, pequenas pedras e outros detritos e os transformam em cascos envolvendo-os com seda. Duprat recolhe as larvas do seu ambiente natural e os transporta para seu estúdio onde ele cuidadosamente remove sua embalagem protetora e os coloca em tanques cheios com seu próprio material, permitindo que as larvas recriem seus pequenos casulos. Em vez de detritos, Dupart lhes oferece flocos de ouro e várias pedras preciosas e semi-preciosas, incluindo turquesas, corais, safiras, pérolas, rubis e diamantes. Dentro de algumas semanas pequenos casulos com jóias são formadas.

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Aganetha Dyck

A segunda artista é a canadense, Aganetha Dyck. Dyck trabalha com abelhas vivas, introduzindo vários objetos feitos a mão em suas colmeias, permitindo que os insetos construam favos de mel sobre os objetos. O processo pode levar semanas, meses e às vezes anos até Dyck decidir que as esculturas estão prontas. Seu trabalho tem sido elogiado por todo o mundo.

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Steven Kutcher

O entomologista californiano Steven Kutcher, professor e artista, emprega uma abordagem completamente diferente. Ele usa besouros, moscas, baratas e outros insetos aplicando tinta em suas pernas e, em seguida, os coloca numa tela branca. Os insetos rastejam sobre a superfície deixando um rastro de tinta. Ao manipular cuidadosamente os seus movimentos através da aplicação de estímulos externos que os insetos reagem, tais como a luz, Kutcher e seus insetos criam estranhas pinturas abstratas.

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

Um besouro com tinta nas pernas.

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

“Onze Passos”, feita por uma especie de barata.

Estes artistas trabalham em conjunto com os insetos para fazer arte

“Borboletas no Jardim”, “Nascer do Sol”, “Olímpico”, “Besouro Dançarino”.

via SciArt in America

Comentários
Carregando...