Estação Espacial Chinesa é destruída ao entrar na atmosfera da Terra

Uma estação espacial chinesa caiu do céu hoje (19 de julho), segundo a Agence France-Presse. Mas ao contrário da última vez que isso aconteceu, a China estava no controle o tempo todo.

A Administração Nacional do Espaço da China (CNSA) disse em um comunicado anterior que a Tiangong-2, a segunda estação experimental do país, “deixaria a órbita e entraria novamente na atmosfera”. Com 10 metros de comprimento e 8.600 quilos, o orbitador era um pouco maior do que uma baleia – embora os painéis solares a deixassem com uma extensão de asa de 18 metros. A CNSA disse que a Tiangong-2 iria queimar quase inteiramente na atmosfera, antes que quaisquer remanescentes caíssem em uma parte remota do Oceano Pacífico chamada Ponto Nemo, ou Polo da Inacessibilidade do Pacífico, o local mais distante de qualquer continente ou ilha no planeta Terra, seja ela habitada ou não.

Essa é uma situação muito diferente da morte do antecessor de Tiangong-2, a Tiangong-1, que caiu de órbita em 1 de abril de 2018 (embora, coincidentemente, a Tiangong-1 tenha terminado sua vida quase na mesma parte do Pacífico).

Funcionários da CNSA disseram que a Tiangong-2 completou todos os seus experimentos e excedeu sua vida operacional prevista de 2 anos em mais 1 ano. A estação hospedou apenas um conjunto de astronautas, em outubro e novembro de 2016, mas desde então ela hospedou várias missões robóticas. [Space]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.