Esta YouTuber comeu uma maçã colhida em Chernobyl, um dos lugares mais radioativos do mundo

Em 1986, um acidente nuclear de proporções gigantescas provocou um desastre em Chernobyl, mais precisamente no assentamento de Pripyat, na Ucrânia, à época pertencente à União Soviética. O evento chocou a comunidade internacional há trinta anos, e até hoje segue sendo utilizado como inspiração para obras de literatura, cinema e até mesmo para lendas urbanas, que falam sobre casos de mutação e outras teorias sobre o que existe nas ruínas de Chernobyl, já que a cidade foi totalmente evacuada no momento do desastre. [Agora você pode entrar em Chernobyl e ver a assustadora cidade-fantasma em 360°]

Um dos principais temores em relação ao local é o alto nível de radiação que ainda reside na cidade, ao qual a exposição prolongada pode causar sérios riscos à saúde. No entanto, uma YouTuber que responde pela alcunha de “bionerd23” pouco liga para os riscos, e utiliza seu canal no YouTube para mostrar suas viagens de exploração no local, bem como para desmentir a ideia de algumas pessoas sobre Chernobyl.

No vídeo acima, por exemplo, ela aparece mostrando um lago localizado na cidade, onde os bagres apresentam tamanhos consideravelmente maiores do que podemos perceber em outros lagos ao redor do mundo. Conforme ela explica, no entanto, isto não acontece por causa da radiação, que de acordo com algumas teorias estaria provocando “mutações” nos animais. A questão, aqui, é que os peixes praticamente não possuem predadores, e recebem muita comida de turistas e exploradores que se aventuram pela cidade. [HBO lançará série sobre o desastre de Chernobyl. Muito drama garantido em cada episódio]

Neste outro vídeo, a garota aparece comendo uma maçã, colhida na hora de uma árvore localizada dentro da área de Chernobyl, em uma atitude que para muitos poderia ser considerada como “loucura”.

No entanto, para Ron Chesser, professor de ciências biológicas que concedeu entrevista ao portal ‘MentalFloss’, comer frutas que nasceram perto do reator nuclear de Chernobyl não é algo assim tão arriscado. [Chernobyl: tudo o que você precisa saber sobre o maior desastre nuclear da história]

“Uma excursão convencional através da zona de Chernobyl representa cerca de metade da radiação de um raio-x do tórax, mesmo que você coma algumas maçãs no meio do caminho”, disse o professor para o MentalFloss.

A dona do canal no YouTube mantém sua identidade anônima, mas afirma que é estudante de física, e por meio do seu canal ela busca levar curiosidades e explicações sobre a sua área de estudo de uma maneira que as pessoas possam se interessar. Para conferir mais alguns de seus vídeos, clique aqui.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.