fbpx

Esta é a reclamação de um cliente mais antiga da história (e é ótima)

Há muito a dizer sobre a raça humana e como mudamos ao longo de milhares de anos, mas há uma coisa que sempre tivemos ao longo da história: o compromisso de reclamar.

BritishMuseum

A peça arqueológica, que remonta a cerca de 1750 aC, foi encontrada na antiga cidade de Ur, famosa por seu impressionante Zigurate, localizado hoje no Iraque moderno. A tábua em argila é uma reclamação de um homem chamado Nanni a um fornecedor conhecido como Ea-nasir. De fato, há várias reclamações na carta. Ea-nasir aparentemente entregou a quantidade errada de cobre após sua viagem do Golfo Pérsico para coletar o metal. Ele também é responsável pela má orientação e atrasos em uma entrega adicional. E ainda por cima, ele foi rude com os servos que Nanni enviou para receber a entrega. Soa familiar?

“Eu enviei mensageiros senhores como nós para coletar o saco com o meu dinheiro (depositado com você), mas você os tratou com desprezo, enviando-os de volta para mim de mãos vazias várias vezes, e isso através do território inimigo.”

(Ele ainda não terminou.)

“Existe alguém entre os mercadores que negociam com Telmun que tratam dessa maneira? Você só trata meu mensageiro com desprezo!

A tábua faz parte da coleção permanente do Museu Britânico, mas não está em exibição. A língua na tabuinha é acádia, a mais antiga língua semítica conhecida (línguas que se originaram do Oriente Médio, incluindo hebraico, árabe e aramaico) e é escrita  cuneiforme, que foi usada para escrever a língua suméria. O documento não é muito grande, medindo 11,6 por 5 centímetros. Mas o que pode estar faltando em tamanho faz com fervor. Nanni realmente não está satisfeito.

“Como você me tratou por esse cobre? Você reteve minha bolsa de dinheiro de mim em território inimigo; agora cabe a você restaurar (meu dinheiro) para mim na íntegra”, ele exige.

Depois de tudo isso, porém, suspeitamos que Nanni não tinha outra opção senão comprar com Ea-nasir enquanto ele concluía a carta com isso:

“Tome conhecimento de que (a partir de agora) não aceitarei aqui nenhum cobre que não seja de boa qualidade. Eu (de agora em diante) selecionarei e tomarei os lingotes individualmente em meu próprio quintal, e exercerei contra você meu direito de rejeição, porque você me tratou com desprezo”.

Pois é, desde a Antiguidade que o cliente sempre tem razão. [IFLScience]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.