Esses foram os 7 serial killers mais cruéis de todos os tempos que você certamente não iria querer conhecer

Estes não são apenas serial killers comuns; o que você verá a seguir são alguns dos assassinos mais horríveis que foram considerados culpados por seus crimes. Mas quem são e o que os motivam a querer tirar a vida de outros seres humanos, e de modos assustadores? Realmente não sabemos. Tudo que sabemos é que o ser humano é capaz de fazer coisas horríveis. Independente da ordem, esses são os 7 serial killers mais cruéis de todos os tempos, que você certamente não iria querer conhecer.

7 – Andrei Chikatilo

Chikatilo era um serial killer soviético, apelidado de “O Carniceiro de Rostov”. Ele cometeu agressão sexual, assassinato e mutilação de pelo menos 52 mulheres e crianças na Rússia entre 1978 e 1990. Acreditando que ele era o assassino, a polícia vigiou Chikatilo, que eventualmente forneceu motivos adequados para prendê-lo. Ele confessou um total de 56 assassinatos e foi julgado por 53 desses em abril de 1992. Os pais das vítimas exigiram que as autoridades o liberassem para que pudessem matá-lo. Ele foi condenado à morte em outubro de 1992 e posteriormente executado em fevereiro de 1994.

6 – Tommy Lynn Sells

Conhecido por ter matado pelo menos 70 pessoas, Tommy Lynn Sells é considerado um dos assassinos mais perigosos no Texas e foi condenado por vários assassinatos brutais entre 1985 e 1999, incluindo esfaquear uma menina de 13 anos 16 vezes. Sells foi finalmente capturado depois de entrar no quarto de uma menina de 10 anos, esfaqueando-a e deixando-a para morrer. Apesar das feridas, a garota conseguiu sobreviver e alertar seus vizinhos. Ela forneceu uma descrição detalhada de Sells para a polícia, que eventualmente o capturou. Hoje ele permanece em uma prisão de alta segurança em Livingston, Texas.

5 – Gary Ridgway

Um dos serial killers mais terríveis dos Estados Unidos, Gary Ridgway foi preso em 2001 por quatro assassinatos, embora ele tenha confessado matar pelo menos 70 mulheres no estado de Washington entre 1980 e 1990. Ele evitou a pena de morte, fornecendo confissões detalhadas e levando a polícia para os locais onde tinha deixado suas vítimas, cinco dos quais ele jogou no rio Green River, que levou a imprensa a apelidá-lo de “O Assassino de Green River”. Ele foi condenado por 49 assassinatos e à prisão perpétua sem liberdade condicional.

4 – Pedro Rodrigues Filho

Um dos mais recentes assassinos em série da nossa lista, Pedro Rodrigues Filho é um serial killer brasileiro. Aposentado em 1973, ele foi condenado em 2003 pelo assassinato de pelo menos 71 pessoas e condenado a 128 anos de prisão (embora o sistema brasileiro proíba qualquer pessoa de ficar mais de trinta anos por trás das barras). Com seu primeiro assassinato aos 14 anos, Pedro começou com uma série de assaltos e se envolveu em diversos assassinatos contra traficantes de drogas. Aos 18 anos ele já tinha matado 10 pessoas. Enquanto estava preso, ele executou o próprio pai que também estava cumprindo pena por seus assassinatos. Pedro matou pelo menos 47 presos enquanto estava na cadeia. Os seus contínuos assassinatos aumentariam sua pena para 400 anos. No entanto, por algum motivo, ele foi liberado da prisão em 2007 depois de ter servido 34 anos, mas depois foi preso novamente em 2011.

3 – Daniel Camargo Barbosa

Barbosa era um serial killer que acredita-se ter estuprado e matado mais de 150 meninas na Colômbia e no Equador de 1970 a 1980. Ele confessou ter matado 72 garotas no Equador depois de fugir de uma prisão colombiana. Depois de ser preso em Quito, ele levou as autoridades ao local das vítimas cujos corpos ainda não tinham sido recuperados. Ele foi condenado em 1989 a 16 anos de prisão, a sentença máxima no Equador. Em novembro de 1994, ele foi assassinado na prisão pelo primo de uma de suas vítimas.

2 – Dr. Harold Shipman

Dr. Harold Fredrick Shipman foi um médico inglês e é um dos serial killers mais malignos do mundo na história registrada, provado ter sido responsável por até 250 assassinatos. Considerado um médico confiável, ele era bem respeitado em sua comunidade, no entanto colegas e empresários locais começaram a se preocupar com a alta taxa de mortalidade na área e o grande número de formulários para cremações de mulheres idosas que ele havia contra assinado. Vários corpos foram posteriormente examinados e os cadáveres revelaram diamorfina em seus sistemas. Mais tarde, Shipman havia intencionalmente injetado doses fatais da droga em um grande número de pacientes, matando-os. Ele então completava solicitações de cremação para destruir os corpos das vítimas. O juiz condenou-o a 15 sentenças consecutivas e recomendou que ele nunca fosse solto. Shipman depois se enforcou em janeiro de 2004 em sua cela na prisão de Wakefield.

1 – Pedro Alonso Lopez

 

Pedro Alonso López é um serial killer colombiano, acusado de estuprar e matar mais de 300 meninas em toda a América do Sul. Ele as atraía para áreas isoladas ou dentro de edifícios desocupados onde estuprava cada uma delas antes de assassiná-las com uma variedade de métodos brutais, principalmente por estrangulamento. López foi preso quando uma tentativa de captura falhou e ele foi preso por comerciantes. Ele confessou mais de 300 assassinatos, mas a polícia só acreditou nele quando descobriram um buraco massivo onde estavam enterradas muitas das vítimas. Eventualmente, 53 corpos foram descobertos. Preso em 1980, ele serviu por 18 anos antes de ser libertado de uma prisão equatoriana e ser deportado para a Colômbia, onde foi preso e em 2002 condenado a servir o local por toda sua vida. [List25]

Comentários
Carregando...