Esse foi o local mais perigoso da Terra em todos os tempos

Com base em suas exaustivas pesquisas, um grupo de paleontólogos internacionais afirma ter descoberto a época e o local mais perigosos de todo o planeta: o Saara… cerca 100 milhões de anos atrás!

@Shutterstock

O líder do estudo foi o Dr. Nizar Ibrahim, da Universidade de Detroit Mercy, e ele explicou que “se um ser humano viajante do tempo que fosse para lá, não duraria por muito tempo”. Há 100 milhões de anos o Saara contava com uma quantidade considerável de répteis colossais sobrevoando o céu e bestas gigantes como crocodilos vagando pela paisagem. Bem, isso justifica o tamanho do perigo, não é mesmo?

[CNET]

A pesquisa foi considerada como o “trabalho mais abrangente sobre vertebrados fósseis do Saara em quase um século” e incluiu décadas de registros fósseis de museus do mundo inteiro sobre a formação de Kem Kem, um grupo geológico ao longo da fronteira entre Argélia e Marrocos, cujos estratos datam do final do Cretáceo.

[ZooKeys]

A Formação Kem Kem é uma variedade de formações rochosas e as evidências extraídas delas foram descritas pela Universidade de Portsmouth como “o primeiro relato detalhado e totalmente ilustrado da escarpa rica em fósseis”.

[IFL Science]

@Shutterstock

Se um viajante do tempo chegasse a esse local, conseguiria ver três dos maiores dinossauros predadores já registrados – na verdade, seria encontrado por eles primeiro, é claro.  O Carcarodontossauro, seria o primeiro deles, com dentes de até oito centímetros de comprimento e altura de quase oito metros. Em segundo lugar, o Deltadromeus – um membro da família velociraptor – com o mesmo comprimento.

Um outro obstáculo para o viajante do tempo seria sobreviver aos enormes répteis (pterossauros) voando, caçadores parecidos com crocodilos por toda a superfície e ameaças aquáticas à espreita nos vastos sistemas fluviais.

O professor David Martill, da Universidade de Portsmouth, explicou que a terceira maior ameaça seria exatamente essa: o Saara nessa época estava cheio de peixes colossais, incluindo Celacantos e Dipnoicos. “O celacanto daquela época era, por exemplo, provavelmente quatro ou até cinco vezes maior que o celacanto de hoje”, disse ele.

@Shutterstock

Kem Kem dispõe de uma quantidade incomumente alta de fósseis de grandes carnívoros e revela com clareza a diversidade da África, melhor do que qualquer outro ponto do continente. A formação Kem Kem é basicamente uma mina de ouro para os especialistas,já que, composta por duas formações distintas, conhecidas como Gara Sbaa e Douira, fornece uma janela para a Era dos Dinossauros da África. Inclusive, a primeira pesquisa substancial sobre vertebrados fósseis ocorreu no Saara, em 1936 – quando o famoso paleontólogo alemão Ernst Freiherr Stromer von Reichenbach publicou seu estudo.

[Eureka Alert]

Ainda bem que hoje podemos contemplar o Saara a uma distância segura, não é mesmo?

.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.