Essa “geleira de sangue” pode nos ajudar a encontrar vida extraterrestre

Agora, pela primeira vez, anuncia o “DailyMail” em uma publicação, os cientistas retiraram amostras não contaminadas das profundezas abaixo de uma geleira na esperança de encontrar vida microbiana.

Eles acreditam que “extremófilos” que possivelmente vivem sob a superfície poderiam ser únicos em sua capacidade de sobreviver – podendo ajudar na busca por vida extraterrestre.

Cientistas iniciaram recentemente uma investigação sobre o gelo da geleira Taylor na intenção de extrair amostras de água salgada da principal veia que alimenta a mancha vermelha.

Essas geleiras de sangue podem nos ajudar a encontrar vida extraterrestre

De acordo com Jill Mikucki, professor assistente de microbiologia na Universidade do Tennessee, a cor vermelha é causada pela descarga da salmoura rica em ferro. A sua química é alterada por bactérias, que transformam os compostos de enxofre e ferro a fim de sobreviver.

Quando o líquido oxida na superfície, ele cria uma cor vermelho-sangue. No entanto, para saber mais sobre as bactérias, os cientistas precisavam de amostras oxidadas.

O projeto Midge, liderado por Mikucki, desenvolveu uma sonda única, apelidada de “EnEx-IceMole”, que parece uma caixa de metal retangular com cabeça de cobre e parafuso de gelo que derretem e perfuram o solo gélido.

Para ajudar a navegar a sonda, os cientistas utilizam diferentes tipos de ondas de som que controlam a posição do IceMole.

A equipe se concentrou em localizar o canal por meio do qual a salmoura se movimenta do reservatório para a superfície do Blood Falls.

Agora, os cientistas estão no processo de análise de amostras, e esperam que os resultados possam revelar como a vida pode existir em luas como a Enceladus, de Saturno e Europa, de Júpiter. [DailyMail]

Comentários
Carregando...