Essa é a quantidade de dinheiro que você precisa para comprar coisas na Venezuela

Imagine só a cena: você vai ao supermercado e enche o carrinho com os produtos básicos que precisa. Ao passar pelo caixa, nota que o preço deles dobrou. Isso não parece estranho, porém essa realidade assombrosa existe em um lugar: na Venezuela, onde o resultado de imprimir muito dinheiro foi uma hiperinflação, o que tornou o dinheiro essencialmente inútil. 

Atualmente atingida pela crise, a Venezuela está sob pressão da hiperinflação, o pior caso observado desde o Zimbábue em 2007-09. Até o final do ano, prevê-se que a taxa de inflação ultrapasse 1 milhão por cento, um grande número impressionante que o governo tentou conter cortando 5 zeros da moeda nacional, o Bolívar, e introduzindo novas notas.  

Ainda haverá uma mistura de notas em circulação, levando a situações confusas sobre o preço real dos itens e tornando as transações um pesadelo, principalmente para os venezuelanos pobres que não possuem acesso ao banco e fazem o uso do dinheiro em espécie para fazerem suas compras. 

A hiperinflação foi tão bizarra que forçou pessoas a carregarem milhares de notas para comprarem um simples rolo de papel higiênico que, no Brasil, não chega aos 2 reais. 

Pensando nisso, o fotógrafo venezuelano Carlos Garcia Rawlins tirou fotos de itens essenciais como tomates e fraldas, juntamente com o dinheiro necessário para comprá-los. Os preços mostrados são a partir do momento em que as fotos foram tiradas, sendo que a situação é tão instável que, no momento que você estiver lendo essa matéria, tudo mudou e deve estar valendo muito mais. Veja só: 

11 –  Um quilo de tomates custa 5.000.000 bolívares, o equivalente a 3 reais:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

10 –  Um frango de dois quilos e meio custa 14.600.000 bolívares o equivalente 8,78 reais:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

9 –  Um quilo de queijo custa 7.500.000 bolívares ou 4,51 reais:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

8 –  Um pacote de fraldas custa 8.000.000 bolívares ou 4,82 reais:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

7 –  Um rolo de papel higiênico custa 2.600.000 bolívares:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

6 –  1 kg de cenoura ao lado de 3.000.000 bolívares, seu preço atual:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

5 –  Uma embalagem de absorventes custa 3.500.000 bolívares:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

4 –  Um pequeno sabonete custa 3.500.000 bolívares na Venezuela:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

3 –  1kg de arroz ao lado de 2.500.000 bolívares:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

2 –  1 kg de carne bovina custa 9.500.000 bolívares na Venezuela:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

1 –  Apenas 1 kg de macarrão custa 2.500.000 bolívares:

REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.