Especialista afirma ter descoberto destroços do avião MH370 desaparecido

por Lucas Rabello
0 comentário 3,1K visualizações

O especialista em tecnologia Ian Wilson afirma ter identificado os destroços do voo MH370 da Malaysia Airlines usando o Google Maps, oferecendo potencial esperança às famílias das 239 pessoas que desapareceram com o voo., segundo o Mirror. O voo MH370, um voo internacional de passageiros, desapareceu dos radares do controle de tráfego aéreo em 8 de março de 2014, durante sua jornada do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia, para o Aeroporto Internacional da Capital de Pequim, na China.

A última comunicação conhecida com o piloto ocorreu 38 minutos após a decolagem, enquanto o avião sobrevoava o Mar da China Meridional. Pouco depois, o voo desapareceu das telas do radar secundário do controle de tráfego aéreo. Apesar disso, o sistema de radar primário das forças armadas da Malásia rastreou a aeronave por mais uma hora, enquanto ela se desviava de sua rota planejada. Posteriormente, o voo, juntamente com seus passageiros e tripulação, nunca mais foi ouvido.

Wilson, detalhando sua descoberta, afirmou que passou inúmeras horas examinando o Google Earth em busca de possíveis locais de queda. Ele acredita ter encontrado a aeronave na selva do Camboja, descrevendo o local como a “parte mais verde e escura” visível no mapa. Segundo Wilson, as medidas do objeto identificado no Google Maps são de aproximadamente 69 metros, com um espaço visível entre a cauda e a parte traseira do avião, o que ele sugere que poderia explicar a discrepância de tamanho.

Ian Wilson acha que este pode ser o avião desaparecido. (Google Mapas)

Ian Wilson acha que este pode ser o avião desaparecido. (Google Maps)

A potencial descoberta surge após extensas operações de busca realizadas pela Malásia, Austrália e China, que concluíram em 2017 sem localizar o avião desaparecido. A alegação de Wilson, se verificada, pode fornecer informações significativas e um encerramento para as famílias afetadas pela tragédia.

Em resposta a este novo desenvolvimento, o ministro dos Transportes da Malásia, Anthony Loke, reafirmou o compromisso do governo de continuar a busca pelo voo MH370. Durante um evento que comemorava o aniversário da tragédia no início deste ano, Loke enfatizou que o governo malaio permanece dedicado a encontrar a aeronave desaparecida.

Além disso, a Ocean Infinity, uma empresa que já havia realizado duas buscas sem sucesso pelo avião, propôs uma nova operação de busca. A empresa se ofereceu para realizar a busca com base no princípio “não encontrou, não paga”, destacando sua determinação em localizar o voo desaparecido.

O desaparecimento do voo MH370 permanece um dos maiores mistérios da aviação, gerando inúmeras teorias e extensas operações de busca. O voo, que desapareceu sem deixar rastros, tem sido alvo de atenção e especulação internacional. A última alegação de Wilson introduz uma nova possibilidade nos esforços contínuos de busca.

Inscreva-se no canal Mistérios do Mundo no YouTube

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados