Engenheiros descobriram 26 esqueletos enquanto escavavam um oleoduto na Inglaterra

Um dos 26 esqueletos humanos revelados recentemente durante a escavação de um projeto de oleoduto em Oxfordshire, Inglaterra: arqueólogos locais acreditam que muitos dos esqueletos datam da Idade do Ferro e podem ter sido enterrados de maneira ritualística. Crédito: Thames Water

Engenheiros estavam cavando poços para construir um novo duto de água recentemente no interior da Inglaterra – mas os poços já estavam ocupados por esqueletos.

De acordo com um comunicado divulgado ontem (15 de abril) pela empresa britânica de serviços de utilidade pública Thames Water, um projeto de instalação de tubos em Oxfordshire levou à descoberta de 26 esqueletos humanos, alguns dos quais supostamente têm quase 3.000 anos de idade.

Engenheiros descobriram 26 esqueletos enquanto escavavam um oleoduto na Inglaterra
Um dos 26 esqueletos humanos revelados recentemente durante a escavação de um projeto de oleoduto em Oxfordshire, Inglaterra: arqueólogos locais acreditam que muitos dos esqueletos datam da Idade do Ferro e podem ter sido enterrados de maneira ritualística. Crédito: Thames Water

Acredita-se que os esqueletos mais antigos datam da Idade do Ferro (que durou do oitavo século aC ao segundo século dC), disseram especialistas da Arqueologia Cotswold, no comunicado à imprensa, fornecendo novas ideias sobre como as comunidades locais viveram antes da conquista romana da Grã-Bretanha no primeiro século.

Alguns dos esqueletos foram enterrados no que parecia ser um ritual, pois mostram semelhanças com enterramentos nas proximidades da Idade do Ferro que “podem ter envolvido sacrifícios humanos”, disse o chefe-executivo da Arqueologia de Cotswold, Neil Holbrook, no comunicado.

Acredita-se que essas comunidades pré-romanas estejam ligadas ao cavalo branco de Uffington, uma figura pré-histórica de 110 metros de um cavalo esculpido em uma encosta próxima, disse Holbrook.

Entre os esqueletos da nova descoberta, os escavadores também descobriram uma série de artefatos, incluindo fragmentos de habitações, cerâmica, ferramentas de corte, carcaças de animais e um pente decorativo. Os esqueletos e objetos foram removidos para análise forense para que o projeto de escavação possa continuar.

Originalmente publicado em LiveScience.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.