fbpx

Empresa norte-americana vende bunkers para quem quiser se proteger de uma guerra nuclear

Não se trata mais de um enredo apenas dos filmes apocalípticos – infelizmente, a ameaça de uma guerra nuclear que coloque em risco a humanidade já é uma possibilidade real.

Recentemente, com a escalada da tensão entre Rússia e Ucrânia no leste europeu, mais uma vez o mundo se preocupou com essa possibilidade, e é nesses momentos instáveis que algumas ideias fazem ainda mais sentido.

É o caso da empresa ‘Vivos Xpoint Shelter’, criada pelo arquiteto Dante Vicino, uma espécie de “guru” dos bunkers de proteção contra ameaças nucleares. De forma resumida, a sua companhia é especializada em produzir esconderijos fortificados, construídos de forma a ficarem parcialmente embaixo da terra, oferecendo um pouco mais de segurança em um eventual momento de exposição fora do normal a ameaças nucleares.

Divulgação/YouTube/Enes Yilmazer

Em 2018, a empresa de Vicino comprou uma base anteriormente pertencente ao Exército dos Estados Unidos, na região da Dakota do Sul. Originalmente, a área que conta com 18km² e 575 bunkers subterrâneos tinha como objetivo servir como uma fortaleza militar.

Hoje, no entanto, o local foi aprimorado para poder receber até 5 mil pessoas. No início, a Black Hills Ordinance Depot, como era conhecido o local, servia como uma importante base para armazenar e produzir armas, munições e artilharia pesada para testes de bombas.

“Nós transformamos isso na maior comunidade de sobrevivência fora do mapa. E é o único lugar assim não só neste país, mas em todo o mundo”, disse Dante Vicino em uma entrevista ao canal do corretor imobiliário ‘Enes Yilmazer’, no YouTube.

Hoje, a área conta com alguns bunkers abandonados, sem nenhum tipo de modificação desde o projeto original; alguns em estado de reforma para abrigar moradores; e outros já aptos para receber abrigados.

E ainda que os bunkers, por fora, pareçam todos iguais, seus espaços internos são aproveitados de forma diferente, para suprir demandas distintas.

O design externo dos bunkers é rústico e simples, mas dentro deles estão várias comodidades de última geração: Desde um sistema interno de geração de energia até equipamentos de suporte críticos e acesso à Internet. Os bunkers também conta com filtragem de ar radioativo e poços de água.

Vista área da localização dos bunkers. | Divulgação/YouTube/Enes Yilmazer

No caso de uma guerra nuclear de grandes proporções, os bunkers oferecem proteção tanto para as possíveis explosões como para a precipitação radioativa – uma consequência drástica e muito prejudicial das explosões envolvendo bombas nucleares.

E tudo isso, é claro, em uma localidade bem longe dos grandes centros urbanos. “Este é um local perfeitamente secreto. A Dakota do Sul, de maneira geral, é um lugar incrível para fugir dos grandes centros urbanos do país. Para sair da região da costa, das regiões normalmente alvejadas. E muitas pessoas se sentem seguras aqui. E acho que é uma grande alternativa”, disse Vicino durante a entrevista.

Mas quanto custa para ter um bunker como esse?

Interior de um dos bunkers reformados. | Divulgação/YouTube/Enes Yilmazer

Os bunkers, além de super protegidos, também oferece bastante comodidade para seus abrigados. Por isso, não é nenhuma surpresa que algumas pessoas já queiram se mudar para lá.

E se você também já está pensando nisso, saiba que pode ser bem mais barato comprar um bunker do que uma casa em qualquer outro lugar dos Estados Unidos. Só para se ter uma ideia, a área total dos bunkers é de aproximadamente 204 metros quadrados.

Uma residência deste tamanho em Orlando, a cidade considerada “mais em conta” nos EUA, custa cerca de 220 mil dólares. Já um bunker vazio, sai por 45 mil dólares em um contrato de 99 anos. E segundo Vicino, as vendas estão indo bem, e 200 unidades já possuem donos. “Eu diria que há 30 famílias morando aqui em tempo integral”.

E você, teria coragem de morar em um bunker como esse? No vídeo abaixo, em inglês, você pode conferir mais informações sobre este projeto que, apesar de parecer maluco, faz todo o sentido no mundo que estamos vivendo atualmente:


Com informações do Uol.com.

você pode gostar também