Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Mulher viciada em academia morre ao cometer um erro muito comum entre várias pessoas

Todos os dias milhares de pessoas vão à academia e fazem seus exercícios, muitas vezes sem saber que estão à beira de um grande desastre.

Entretanto, a morte da famosa fisiculturista Meegan Hefford, de apenas 25 anos, veio trazer à tona os perigos das dietas cheias de proteínas. Essa dieta é muito adotada pelos famosos “marombados” ou conhecidos como “ratos de academia”, que consiste na eliminação da gordura para o ganho de massa magra, ou seja, os músculos. Para isso faz-se a ingestão de grandes quantidades de proteínas, o elemento capaz de formar os músculos.

Meegan morreu em seu apartamento, sendo apenas dois meses depois desvendada sua causa mortis. Ela se preparava para uma competição, quando passou a consumir quantidades altas de proteínas para definir os músculos e o pior: ela sofria de uma doença genética capaz de impedir que organismo quebrasse as proteínas (uma macromolécula) em partículas menores. Isso gera o acúmulo de amônia, uma substância tóxica no organismo, sendo a doença conhecida como “Distúrbio do Ciclo da Ureia”.

Nessa doença ocorre uma série de reações enzimáticas que convertem a amônia, liberada durante o catabolismo das proteínas, em ureia, resultando em níveis muito elevados de amônia no plasma sanguíneo.

Por essa razão em especial Meegan jamais poderia fazer uma dieta rica em proteínas, uma vez que seu corpo é incapaz de metabolizá-las. E também os médicos alertam, mesmo as pessoas que não sofrem do distúrbio e que insistem na dieta, que todo cuidado é pouco.

O intestino humano é capaz de absorver somente – e no máximo – 20 gramas de proteína por refeição, de modo que um valor maior será suprimido pela urina. Ou seja, se não tivermos as secreções apropriadas das enzimas digestivas, a proteína não será transformada em aminoácido e, assim, não será utilizada, gerando uma sobrecarga no organismo.

Por essa razão é sempre primordial consultar um médico para fazer todos os exames necessários e obter um acompanhamento de um nutricionista para obter melhores resultados. [Diário de Biologia]

Comentários
Carregando...