Em Bangkok, pessoas vivem e constroem casas em meio a destroços de aviões

Você já se perguntou o que acontece com os aviões que não são mais capazes de voar e atender as demandas comerciais?

Taylor Weidman/Getty Images

Bem, a maioria normalmente é desmontada, e as peças que ainda podem ser úteis costumam ser vendidas para reciclagem. Os restos, por sua vez, acabam indo parar no que podemos chamar de “cemitérios de aviões”. Verdadeiros depósitos de ferro velho, onde fica aquilo que já praticamente não serve para mais nada.Mistérios do Mundo

Um desses cemitérios de aviões, localizado em Bangkok, foi alvo de uma série de fotografias tiradas pelo fotojornalista Taylor Weidman. Entre as partes velhas e abandonadas das aeronaves, o que se destaca são as pessoas que vivem entre os destroços, muitas criando casas bastante complexas dentro do que antes fora um avião.

Taylor Weidman/Getty Images

No cemitério visitado pelo fotojornalista, existem três famílias vivendo em meio aos destroços. Os indivíduos vivem basicamente do dinheiro que arrecadam coletando e reciclando lixo, e também ganham alguma coisa com turistas, que passam pelo local para tirar fotos.

As fotografias tiradas por Weidman mostram como muitas vezes aquilo que nos parece banal, é extremamente necessário para outras pessoas. É impactante pensar que os restos daquilo que servia como um meio de transporte, nos oferecendo oportunidades de negócios, viagens a lazer, e etc, hoje serve como moradia básica e improvisada para uma série de pessoas.

Taylor Weidman/Getty Images

Se você ainda não valoriza aquilo que tem, talvez seja uma boa hora para começar a valorizar.

Taylor Weidman/Getty Images

Taylor Weidman/Getty Images
Taylor Weidman/Getty Images

As famílias que vivem nessas condições são famílias como a minha, ou a sua, e estão apenas dando o máximo de si para sobreviver conseguir ter algum tipo de dignidade.

Taylor Weidman/Getty Images
Taylor Weidman/Getty Images
Taylor Weidman/Getty Images

Taylor Weidman/Getty Images
Taylor Weidman/Getty Images

Fonte: Upworthy

Comentários
Carregando...