Pular para o conteúdo
Elon Musk diz que vai implantar chips em pessoas daqui a 6 meses

Elon Musk diz que vai implantar chips em pessoas daqui a 6 meses

Elon Musk espera que um chip cerebral sem fio do tamanho de uma moeda desenvolvido por sua empresa Neuralink inicie testes clínicos em humanos em seis meses – depois que a empresa atrasou os cronogramas anteriores estabelecidos pelo CEO bilionário.

A Neuralink está desenvolvendo um chip cerebral que, segundo ela, pode permitir que pacientes com deficiência se movam e se comuniquem novamente, e Musk afirma que também terá como objetivo restaurar a visão.

Com sede na área da baía de São Francisco e Austin, no Texas, a Neuralink tem conduzido testes em animais nos últimos anos, enquanto busca a aprovação da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA para iniciar os ensaios clínicos.

“Queremos ser extremamente cuidadosos e ter certeza de que funcionará bem antes de colocarmos um dispositivo em um ser humano”, disse Musk durante uma atualização pública muito esperada sobre o dispositivo na última quarta-feira (30).

“O progresso a princípio, particularmente no que se aplica aos humanos, parecerá talvez agonizantemente lento, mas estamos fazendo todas as coisas para aumentá-lo em paralelo”, acrescentou. “Então, em teoria, o progresso deveria ser exponencial”.

As duas primeiras aplicações humanas visadas pelo dispositivo Neuralink serão restaurar a visão e permitir o movimento dos músculos em pessoas que não podem fazê-lo, disse Musk.

“Mesmo que alguém nunca tenha tido visão, nunca, como se tivesse nascido cego, acreditamos que ainda podemos restaurar a visão”, disse ele.

O evento estava originalmente planejado para 31 de outubro, mas Musk o adiou poucos dias antes, sem dar um motivo.

A última apresentação pública da Neuralink, há mais de um ano, envolveu um macaco com um chip cerebral que jogava o jogo de computador Pong.

Musk, que também dirige a fabricante de veículos elétricos Tesla, a empresa de foguetes SpaceX e a plataforma de mídia social Twitter, é conhecido por objetivos elevados, como colonizar Marte e salvar a humanidade.

Suas ambições para a Neuralink, lançada em 2016, são da mesma escala.

Ele quer desenvolver um chip que permita ao cérebro controlar dispositivos eletrônicos complexos e, eventualmente, permitir que pessoas com paralisia recuperem a função motora e tratem doenças cerebrais como Parkinson, demência e Alzheimer. Ele também fala sobre fundir o cérebro com inteligência artificial.

A Neuralink, no entanto, está atrasada.

Musk disse em uma apresentação de 2019 que pretendia receber a aprovação regulatória até o final de 2020. Ele então disse em uma conferência no final de 2021 que esperava iniciar os testes em humanos este ano.

A Neuralink perdeu repetidamente os prazos internos para obter a aprovação do FDA para iniciar testes em humanos, segundo funcionários atuais e antigos.

A empresa rival Synchron já avançou com testes em humanos de uma interface cerebral projetada para permitir que pessoas com paralisia controlem dispositivos digitais sem fio por meio do pensamento.

O implante neural cujo teste não requer cirurgia cerebral – em vez disso, ele é inserido por uma pequena fenda no pescoço até a veia jugular e empurrado para dentro do cérebro.

A Synchron atingiu um marco importante em julho ao implantar seu dispositivo em um paciente nos Estados Unidos pela primeira vez e já concluiu estudos em quatro pessoas na Austrália.

Musk abordou a Synchron no início deste ano sobre um potencial investimento depois de expressar frustração aos funcionários da Neuralink sobre seu progresso lento, segundo a Reuters.