É errado afirmar que a Covid-19 é “uma gripe comum”. Entenda o motivo

A Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus originário da China, vem assustando a população mundial há alguns meses, e infelizmente ainda existem muitas informações desencontradas, que acabam gerando alarde e/ou desinformação.

Muitas pessoas (principalmente indivíduos fora da área médica) vêm traçando comparações entre a Covid-19 e a gripe “comum”, que afeta as pessoas do mundo inteiro nos períodos mais frios do ano. Entretanto, ainda que existam de fato grande semelhanças entre as duas condições no que diz respeito aos sintomas, algumas diferenças não podem ser descartadas.

O Centro de Sistemas de Ciências e Engenharia da John Hopkins University (JHU), em um painel on-line que registra todos os casos confirmados de Covid-19,  dá conta de 127.749 casos até as 9h (de Brasília) desta quinta-feira, 12 de março de 2020. Destes, 73.022 já são considerados “encerrados”, seja pela recuperação dos pacientes ou, infelizmente, pelo óbito. De todos os casos encerrados, contabilizam-se 4.717 desfechos fatais. Isto é, cerca de 6,45% dos casos da doença que já podem ser considerados encerrados terminaram com a morte do paciente. Em contra partida, de acordo com dados do ScienceAlert, a gripe comum costuma matar apenas 0,1% das suas “vítimas”.

Shutterstock

“Ainda há considerável incerteza sobre as taxas de fatalidade da Covid-19, e isso depende normalmente da qualidade da saúde local”, disse Francois Balloux, professor da University College London, em entrevista ao Science Alert.

O maior problema, no entanto, envolvendo o novo coronavírus, é a fatalidade entre os mais velhos. Uma análise realizada com 45 mil pacientes chineses mostrou aos cientistas que a doença foi fatal para cerca de 14,8% dos pacientes idosos (acima dos 80 anos). Isso não quer dizer que apenas os mais velhos devem se preocupar: Outro estudo chinês aponta que 41% dos casos sérios da doença ocorreram em pessoas abaixo dos 50 anos de idade. “É verdade que se você é mais velho você está em maior risco, mas os casos sérios também podem acontecer em pessoas relativamente jovens, sem condições prévias”, disse Jerome Salomon, ministro da saúde da França, em uma entrevista recente.

A taxa de contágio da nova doença também assusta quando a comparamos com a gripe convencional. Quando falamos da Covid-19, cada paciente infectado costuma contagiar outras duas ou três pessoas, enquanto na gripe comum os pacientes infectam uma média de 1,3 pessoa.

Alguns cuidados, no entanto, são os mesmos para a Covid-19 e para qualquer outro tipo de gripe: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, evitar cumprimentar as pessoas com apertos de mão e não tocar seu rosto ao longo do tipo, principalmente quando você está na rua, no transporte público e etc. As máscaras também são muito úteis quando você está doente, para evitar transmitir o vírus a outras pessoas.

Infelizmente, ainda não há uma previsão concreta para a chegada de uma vacina eficiente contra a nova doença, e mesmo quando os médicos conseguirem desenvolvê-la, será um desafio fazer com que ela chegue a todos os cantos do planeta.

Até lá, o mais prudente é tomar todos os cuidados possíveis.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.