Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

É assim que a África do Sul está lidando com os criminosos estupradores

Todos nós sabemos que deve existir um limite para tudo: porém, quando as leis não funcionam, é algo realmente complicado. A África do Sul, com tantos meios de evitar crimes e estupros, tentou de tudo, mas não viu outra alternativa: como dito pelo site Ofigenno, seria  “pagar com a mesma moeda”.

Na África do Sul há um problema agudo quando o assunto é o estupro. Segundo dados não oficiais, milhares de meninas e mulheres sofrem assédios sexuais durante o ano, de forma que o fluxo é tão grande que a polícia não está dando conta de cuidar.

Mistérios do Mundo

Por esse motivo, foi desenvolvido uma espécie de cartucho de látex, que as meninas iriam inserir em suas vaginas. O dispositivo tem espécies de “dentes” dentro deles, que teriam a função de cortar o pênis do criminoso.

Para remover o dispositivo é muito difícil, sendo necessária uma equipe médica ou a polícia para o mesmo. Segundo os desenvolvedores isso daria a chance da vítima ser capaz de escapar do criminoso, como também o mesmo ser localizado e examinado mais facilidade.

Os inventores alegam que o dispositivo contém não só proteção, mas também uma função educativa: o estuprador sentirá o que uma mulher está passando da maneira mais difícil. Só então outros se recusam a atos maliciosos.

Mistérios do Mundo

Entretanto o dispositivo gerou uma série de críticas negativas, uma vez que o estupro acontece pela agressão e outras práticas – que não envolvem a introdução do pênis – que a vítima passa, tendo consequências eternas em sua vida. Fora o sofrimento da garota em ter de introduzir o item toda vez ao sair de casa, já que ele é difícil de ser removido.

Se fosse em seu país: você acha que esta metodologia funcionaria? [Ofigenno]

Comentários
Carregando...