Pular para o conteúdo
Duas freiras partiram em missão para a África e ao voltar descobriram que estavam grávidas

Duas freiras partiram em missão para a África e ao voltar descobriram que estavam grávidas

Às vezes acontecem episódios que parecem ir contra qualquer forma de ” normalidade “, e são capazes de nos fazer revirar os olhos justamente por acreditarmos que é improvável que aconteçam.

No ambiente eclesiástico católico, as promessas e votos de castidade dos religiosos e religiosas são princípios fundamentais que jamais devem ser quebrados. No entanto, a realidade, e em particular o episódio que vamos contar, de vez em quando nos diz o contrário. Neste caso, ficaram no centro das atenções duas freiras missionárias que, após uma viagem a África, regressaram grávidas para casa, causando grande alvoroço.

A história é daquelas capazes de desestabilizar a balança em pouco tempo, além de criar escândalos bastante óbvios e constrangedores. Corria o ano de 2019 quando as duas freiras, uma italiana e outra originária de Madagascar, ao retornarem à Itália de uma viagem à África por motivos de caridade, descobriram que estavam grávidas, segundo uma reportagem do New York Post.

Logo após a descoberta, a Igreja Católica iniciou uma investigação, manifestando-se “consternada” com o ocorrido. Segundo apurou-se posteriormente, as duas freiras pertenciam a ordens diferentes e teriam permanecido grávidas enquanto desenvolviam tarefas caritativas distintas. Uma das duas teria sido madre superiora, enquanto a outra, de 34 anos, teria descoberto a gravidez após sentir fortes dores de estômago assim que voltou ao convento.

O que é certo é que ambas tiveram relações íntimas durante a estadia na África e, portanto, violaram as estritas regras de castidade impostas pela religião. De qualquer forma, elas informaram do Vaticano que “o bem-estar das crianças vem em primeiro lugar”, e esperamos que seja exatamente esse o caso. Com toda a probabilidade, as duas freiras abandonaram sua missão para se dedicar à criação de seus filhos pequenos.