Doença da época dos piratas está voltando

Há muito tempo, piratas, exploradores e marinheiros eram atormentados por uma doença misteriosa que os levava a sofrer uma morte lenta e dolorosa. Agora essa doença está voltando.

Sabemos agora que a condição, chamada escorbuto, é causada pela falta de vitamina C, que é encontrada principalmente em frutas e legumes.

Wikimedia

Os sintomas iniciais da doença incluem fadiga, náusea e dores articulares, mas mais tarde podem causar gengivas inchadas, hematomas graves, cabelos danificados e sangramento nas articulações e nos músculos. Em crianças, pode afetar os ossos, causando um crescimento atrofiado. Nos piores casos, o escorbuto pode levar à morte por complicações como hemorragia interna.

Felizmente, o escorbuto é incrivelmente fácil de tratar – você apenas aumenta a quantidade de vitamina C em sua dieta.

Embora o escorbuto tenha sido documentado pela primeira vez em 1550 aC pelos antigos egípcios, talvez seja mais famoso pelos efeitos que teve nos marinheiros do século XVIII. Longos períodos no mar significavam a falta de frutas frescas e vegetais para comer, de modo que a doença devastava os piratas e afetava gravemente a Marinha Real Britânica, cujos marinheiros eram muito mais propensos a serem mortos por doenças como o escorbuto do que pelo combate em si. De fato, acredita-se que o escorbuto era a maior causa de mortes no mar – ultrapassando tempestades violentas, naufrágios, batalhas e outras doenças juntas.

A doença também afetou vários exploradores, como os da expedição de 1901 de Robert Falcon Scott à Antártida, anterior à malfadada expedição de 1910 que o levou à morte. Embora Scott se opusesse ao massacre de pingüins, sua equipe com escorbuto descobriu que comer carne fresca de foca e pinguim poderia melhorar seus sintomas.

Hoje, o escorbuto é visto principalmente em países em desenvolvimento, onde a desnutrição é mais comum. Mas o escorbuto parece estar ressurgindo em países onde as pessoas deveriam ter acesso a uma abundância de alimentos ricos em vitamina C.

Essa ocorrência é explorada em um novo documentário chamado Vitamania. O médico Eric Churchill, que atende em Springfield, EUA, e participa do novo filme, explicou que apenas sua equipe diagnosticou entre 20 e 30 novos casos de escorbuto nos últimos seis anos – um número surpreendentemente alto. Mas por que?

“Muitas pessoas que têm dificuldade em obter comida tendem a consumir alimentos com alto teor de gordura, alto teor calórico e muito recheio”, diz Churchill no documentário.

“Se você tem um orçamento limitado para comida, essas são as refeições que vão te encher e irão satisfazê-lo mais do que comer frutas e verduras.”

tangerinas
pixel2013 / Pixabay

Portanto, aqueles de menor status socioeconômico dentro dos países ricos são os afetados por essa doença nutricional, algo que precisa ser abordado.

“O escorbuto se destaca em nossas mentes como algo que é tão básico e fácil de evitar, e ainda assim essas pessoas acabaram sendo vítimas de uma doença que simplesmente não deveria existir”, disse Churchill.

Várias espécies no reino animal – como lêmures e lorises – podem produzir sua própria vitamina C, mas infelizmente não podemos, então nossa dieta é incrivelmente importante. E não é apenas uma falta de frutas e vegetais que pode levar ao escorbuto – a maneira como os cozinhamos também pode ter efeito. Cozinhas demais legumes pode destruir as vitaminas vitais dentro deles. Excelentes fontes de vitamina C incluem tomate, laranja, pimentão, goiaba, morango e coentro.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.