Conheça os 5 tipos de irmãos gêmeos mais raros que você verá na vida

Falar em gêmeos já é de fato algo curioso, ainda mais quando se tratam de histórias diferentes. Os irmãos quando semi idênticos aguçam a imaginação do público em geral, tanto pela “capacidade” de um “substituir o outro” em um evento importante como pelas condições curiosas a partir das quais os gêmeos vieram ao mundo.

A seguir você conhecerá os 5 tipos de irmãos gêmeos mais raros que você verá na vida – confira e veja os milagres que a biologia é capaz de fazer:

5 – Superfetação

 

O objetivo do ciclo reprodutivo de uma mulher é bem simples: engravidar. Então, quando esse objetivo foi alcançado, o corpo para de produzir ovos e desloca sua atenção toda para a nutrição do feto. Isso geralmente ocorre dentro de dez dias de gravidez.

Entretanto, a superfetação é o fenômeno em que uma mulher fica grávida quando já está gravida. Com apenas dez casos registrados de superfetação na história humana, o que torna a superfetação tão rara é que exige que o corpo “funcione mal” de duas formas muito específicas: em primeiro lugar, o útero deve permanecer aberto durante mais do que os dez dias habituais para permitir a liberação de um segundo ovo. Além disso, o segundo ovo deve cair muito mais cedo do que o esperado. Geralmente é um ovo a cada 28 dias, mas isso pode variar. Mesmo que ambas as coisas aconteçam, a mulher ainda tem que passar por todas as etapas habituais para a concepção. O maior risco dos casos de superfetação é que o segundo bebê nascerá prematuramente quando a mãe entrar em trabalho de parto do primeiro filho, mas como as crianças são concebidas dentro de semanas uma da outra, isso não é um problema tão relevante. Na verdade, a probabilidade é de que isso possa acontecer com mais frequência do que sabemos, sendo que os pais simplesmente presumem que os gêmeos não sejam idênticos.

4 – Concepção heteropaternal

A fecundação heteropaternal é um tipo raro de gêmeos, não tanto por causa dos fatores genéticos envolvidos, mas pela forma em que podem ser concebidos. Isso ocorre quando uma mulher liberou dois ovos, que então são fecundados por homens diferentes.

Esse tipo de concepção heteropaternal é bastante comum em outras espécies, como gatos, onde a mãe simplesmente tem tantos bebês quanto possível. Ter o maior número de parceiros maximizará as chances de que qualquer ovo que caia seja fecundado. Isso explica por que uma ninhada de gatos pode variar muito em padrões e cores, diferentemente dos seres humanos, pois há uma maior variação genética entre as espécies.

3 – Gêmeos semi-idênticos

 

Os gêmeos idênticos se formam quando um esperma penetra em um ovo e, nos estágios iniciais do desenvolvimento, o ovo se divide em dois. Como foi o mesmo esperma e o mesmo ovo, o resultado é que a composição genética é idêntica. Embora diferentes espermatozoides possam transportar informações genéticas diferentes, uma vez que um ovo foi fertilizado, ele não pode ser fertilizado por uma segunda vez. Mas e se dois espermatozoides conseguissem entrar no ovo literalmente exatamente o mesmo momento? Isso é conhecido como geminação semi-idêntica, e foi documentada pela primeira vez em 2007. Este caso veio à atenção dos médicos quando foi descoberto que a metade nasceu um par de gêmeos hermafroditas. Após uma inspeção mais próxima, aconteceu que dois espermatozoides do mesmo homem tinham penetrado um ovo simultaneamente. Isso geralmente resulta em uma gravidez mal sucedida, embora tenha existido casos em que esses fetos tenham se desenvolvido bem. Em um caso de 2007, no entanto, as coisas foram um passo adiante, e o ovo se dividiu em dois. Isso resultou em que cada gêmeo obtivesse um pouco de genética de cada esperma, tornando-os meio idênticos.

2 – Gêmeos parasitas

Os gêmeos parasitas são uma forma de gêmeos unidos, que ocorrem quando um ovo fertilizado não se separa devidamente. Ao contrário dos gêmeos conjugados, onde duas pessoas distintas com conjuntos separados de consciência são unidas, um gêmeo parasita é menor, não totalmente formado, e não é um ser consciente. Os gêmeos parasitas podem se desenvolver em qualquer lugar do corpo e podem vir de várias formas, desde um pequeno e indistinto nódulo até mesmo membros extra crescendo em diferentes partes do corpo. Em alguns casos, remover o parasita pode ser bastante direto, enquanto que em outros, tentar fazer isso pode ser fatal ou simplesmente impossível.

1 – Gêmeos bi raciais

 

Gêmeos bi raciais designam gêmeos que são cada um de uma raça diferente, ao contrário de os de raça mista. O caso de gêmeos bi raciais pode ocorrer de três formas: o primeiro é quando os pais de diferentes etnias têm gêmeos fraternos, que já é uma condição comum. O segundo é através da Superfecundação Heteropaternal, onde pelo menos dois dos pais são raças diferentes. Por exemplo, se uma mulher branca estivesse com um homem asiático e um homem branco, um bebê definitivamente será branco, enquanto o outro poderia ser branco, asiático ou mestiço. A terceira maneira de ocorrer é se duas pessoas de raça mista tivessem gêmeos fraternos, como aconteceu com duas meninas gêmeas no Reino Unido que nasceram a partir de diferentes etnias. Com cada vez mais relações inter-raciais que ocorrem nos dias de hoje, os casos de gêmeos fraternos bi raciais se tornam cada vez mais comuns à medida que o tempo passa.

E você, conhece irmãos gêmeos com essas condições? Agora você já pode dizer que eles são “pessoas raras” em sua vida.

[Listverse]

Comentários
Carregando...