Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Conheça o objeto misterioso isolado que tem intrigado os astrônomos

Uma equipe internacional de astrônomos liderada por Philippe Delorme, da Universidade de Grenoble Alpes, na França, investigou recentemente um misterioso objeto designado CFBDSIR J214947.2-040308.9 (CFBDSIR 2149-0403, para “abreviar”), buscando revelar sua verdadeira natureza. Supõe-se que este seja um novo objeto isolado de massa planetária ou uma estrela anã marrom de baixa massa e alta metalicidade. Os resultados das novas observações, que foram publicados em um artigo da arXiv.org, poderiam ajudar a distinguir entre essas duas classes.

CFBDSIR 2149-0403 foi detectado em 2012 por Delorme e sua equipe como um possível membro do grupo AB Doradus. Após sua descoberta, o objeto foi classificado pelos pesquisadores como um candidato à rara massa planetária isolada de tipo-T. No entanto, devido à falta de evidências convincentes que possam sustentar a hipótese de que o CFBDSIR 2149-0403 se formou como um planeta e foi posteriormente ejetado, a comunidade científica não exclui a possibilidade de que ele possa ser uma anã marrom de baixa massa.

Mistérios do Mundo

Para caracterizar completamente o CFBDSIR 2149-0403 e restringir sua natureza, a equipe realizou observações minuciosas. A lista de instrumentos utilizados por Delorme e seus colegas inclui o espectrógrafo X-Shooter e a câmera HAWK-I do Very Large Telescope, a câmera WIRCam do Canada–France–Hawaii Telescope  e o Telescópio Espacial Spitzer da NASA.

Os dados do X-Shooter permitiram um estudo detalhado das propriedades físicas deste objeto. No entanto, todos os dados apresentados no artigo são realmente necessários para o estudo, especialmente o acompanhamento a fim de obter a paralaxe do objeto, bem como a fotometria Spitzer. Juntas, elas nos permitem obter o fluxo bolométrico do objeto e, portanto, limitações que são quase independentes das hipóteses do modelo da atmosfera”, disse Delorme ao Phys.org.

Além de determinar a paralaxe do objeto, as observações de acompanhamento também permitiram aos pesquisadores derivar sua posição dimensional e cinemática. Estes resultados indicam que é mais provável que o CFBDSIR 2149-0403 não seja membro do grupo AB Doradus, como foi reivindicado em estudos anteriores, removendo assim qualquer forte limitação independente de sua idade.

[NA]

Comentários
Carregando...