Conheça a UVB-76, misteriosa rádio fantasma da Rússia

Versão em vídeo:

Versão em texto:

Se existe um lugar no mundo que está repleto de mistérios, esse lugar certamente é a Rússia. A partir do fim da União Soviética, milhares de segredos e curiosidades sobre este país começaram a surgir. Um deles é o mistério da rádio UVB-76, que até hoje ainda não foi totalmente explicada.

Estamos falando de uma estação de rádio que emite ondas curtas, em uma frequência de 4625 kHz, produzindo apenas um som monótono e constante, que dura 8 segundos e logo em seguida passa por uma pausa de 1 segundo. Essa transmissão está no ar desde 1982, e desde então intriga o mundo inteiro, já que ninguém sabe exatamente qual é o objetivo desta rádio.

Desde que o mundo tomou conhecimento da UVB-76, ela passou a ser acompanhada de perto por muitos entusiastas e especialistas da radiocomunicação, e muitas informações começaram a surgir sobre a misteriosa transmissão russa. Sabe-se, por exemplo, que os bipes repetitivos foram interrompidos apenas três vezes antes de 2010, em três ocasiões onde foram verificadas mensagens de voz partindo da UVB-76. Em todos os casos, as mensagens de voz envolviam códigos misteriosos, letras e números aparentemente sem um sentido claro.

São muitas as histórias e as lendas criadas para tentar explicar a função da UVB-76, mas muitas são consideradas teorias conspiratórias, sem grande fundamentação científica. Uma das teorias mais aceitas, no entanto, é a de que a rádio emite mensagens com o intuito de confirmar se os operadores de outras estações de rádio estão atentos a possíveis emergências. Em outras palavras, essa teoria, que foi defendida pelo ex-ministro de Comunicações da Lituânia, afirma que operadores de várias rádios russas ficam constantemente atentos à UVB-76, para provar que estão rastreando todas as ondas de rádio caso alguma mensagem interrompa os bipes.

Shutterstock

Outra teoria afirma que a rádio faz parte de um estudo da ionosfera, supostamente usando o chamado ‘Efeito Doppler’ para fazer medições. O problema com essa teoria é que ela não explica qual seria, então, o objetivo da mensagens que interrompem a transmissão ocasionalmente.

O que se sabe de verdade é que a rádio muito provavelmente possui um microfone aberto o tempo todo, já que frequentemente é possível ouvir conversas ao fundo. Em 2001, por exemplo, foi possível ouvir uma conversa inteira por trás do microfone da estação, dizendo algo como: “Isso é o que a sala de operações está emitindo”.

Em junho de 2010, a rádio passou por um período de 24h sem qualquer transmissão, sendo retomada no dia 10 daquele mês, com uma mensagem em código morse e um trecho de uma música do balé “O Lago dos Cisnes”. Em setembro de 2010, todas as mensagens passadas pela rádio começaram a receber o prefixo ‘Mikhail Dmitri Zhenya Boris”, o que fez com que as pessoas passassem a chamar a rádio de “MDZhB”. Curiosamente, há relatos de que além do nome, a rádio também mudou de localização fixa.

Até onde era de conhecimento dos especialistas e entusiastas, as instalações da rádio ficavam localizadas em Povarovo, a 40km de Moscou. No entanto, um grupo de exploradores urbanos publicaram em 2011 um vídeo no YouTube afirmando que haviam encontrado o prédio onde a rádio supostamente ficava localizada. No entanto, o local estava totalmente abandonado. De acordo com informações da época, houve relatos de grandes tempestades atingindo a região de Povarovo, o que para muitos pode ter feito com que os responsáveis pela estação mudassem ela de lugar. A veracidade do vídeo, no entanto, é alvo de constantes discussões. Para os exploradores, ficou claro durante a expedição que o local abandonado pertencia ao Exército Russo, e que ele estaria diretamente ligado à rádio, ainda que oficialmente as autoridades russas neguem qualquer relação com as transmissões.

No fim das contas, não há como saber quais as verdadeiras intenções da rádio, e se ela está ou não realmente ligada ao Exército Russo. E se realmente as autoridades do país estiveram por trás da rádio, por que todo esse mistérios? Essas são perguntas que, até então, ninguém sabe responder com certeza.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.