Conheça a lagosta-boxeadora, um verdadeiro pesadelo dos mares!

O reino animal é repleto de mistérios e criaturas “diferentes”, que muitas vezes sequer imaginamos que existem. Nesta matéria você vai conhecer a lagosta-boxeadora, um animal que vive nos oceanos e ostenta uma série de características únicas e peculiares.

Vamos começar falando da visão deste animal, que é muito mais avançada do que a de muitas outras criaturas. Se nós, por exemplo, possuímos um espectro de cores mais limitados, a lagosta-boxeadora consegue enxergar desde o ultravioleta (invisível para nós) até o infravermelho (também invisível aos seres humanos). Isso quer dizer, em outras palavras, que se algo se manifestar dentro desse espectro de cores, poderá ser visto por essas lagostas, mas não por nós.

WikiCommons

Agora, o mais impressionante destes animais é a característica que lhe rendeu o seu nome. Essas lagostas possuem duas patas na parte dianteira do corpo, que são utilizadas para caçar. Quando encontram uma presa, as lagostas movimentam essas patas em uma velocidade simplesmente impressionante, atingido a aceleração do disparo de uma pistola calibre 22, em menos de 1/3000 de segundo. Pode ser difícil compreender o quão impressionante é isso, mas para fins de comparação podemos dizer que se um ser humano conseguisse proporcionalmente fazer a mesma coisa com suas mãos, ele seria capaz de lançar uma bola de baseball para a órbita da Terra. Bizarro, não?

O ataque da lagosta-boxeadora é tão poderoso que acaba por provocar um efeito chamado “supercavitação”, que faz com que a água em volta dela ferva por conta do movimento de suas patas. Toda essa potência normalmente é mais que suficiente para abater suas presas (mesmo que suas patas não cheguem a tocá-los).

Assista ao nosso vídeo sobre 12 animais tão raros que é difícil acreditar que eles são reais:

Mesmo não se tratando de animais grandes (15-30cm), acabam por representar um considerável perigo para peixes, moluscos e caranguejos. Não é à toa que a lagosta-boxeadora é muitas vezes chamada de “pesadelo dos mares”. Afinal, se você fosse um peixe, jamais iria querer se encontrar com uma dessas!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.