Conheça a história chocante de Alex Lewis, que perdeu todos seus membros a partir de uma infecção

Até dois anos e meio atrás, Alex Lewis era um jovem em seus trinta e poucos anos que amava golfe, uma bebida e seu filho de dois anos. Tudo isso mudou em novembro de 2013, quando ele teve um resfriado, pelo menos era o que sua parceira Lucy Townsend pensou. Nada demais, afinal: era época de resfriados e seu filho também estava doente, portanto Alex logo se recuperaria. No entanto, não foi bem assim.

Ele ficou febril, havia sangue em sua urina e sua pele ficou roxa – certamente não era um resfriado comum. Alex teve uma infecção estreptocócica que causou envenenamento do sangue e falência de órgãos. E ele chegou, muito perto, ou podemos dizer, centímetros da morte.

Alex ficou em coma por uma semana. Ele conseguiu sobreviver, mas sua provação estava apenas começando. Suas pernas e um dos braços estavam infectados e, para impedir a disseminação da infecção, tiveram que ser amputados. Parte do rosto dele também precisava ser removido. “Eu me lembro de ver minhas pernas no hospital e como elas estavam ficando cada vez mais escuras”, diz ele.

Ele se lembra de tudo com naturalidade e sem qualquer traço de autopiedade. Um dia ele estava resfriado; 10 dias depois, suas pernas haviam sido amputadas e seu braço esquerdo também se foi; seu rosto estava irreconhecível após a cirurgia – tanto que seu filho Sam estava com muito medo de chegar perto dele. Durante meses, os cirurgiões lutaram para salvar e reconstruir o braço direito de Alex – considerado crucial para liderar qualquer tipo de vida independente quando ele finalmente saísse do hospital. Mas no final, na primavera de 2014, o braço estalou e teve que ser amputado até o cotovelo. Um jovem, que amava a vida ao ar livre, havia ficado completamente imobilizado.

A verdadeira batalha para Alex, no entanto, foi manter seus relacionamentos a longo prazo. Como amigos e familiares reagiram? “Algumas pessoas não conseguiram vir me ver inicialmente”, lembra ele. “Alguns tiveram que esperar muito tempo; outros já vieram me ver o quanto antes. Entendo completamente. Visualmente foi uma enorme mudança. Mas mentalmente eu ainda era o Alex, e o fato de que eu de alguma forma mantive um senso de humor através de tudo isso ajudou. Eu ainda podia conversar com eles sobre sua família, seus filhos e o que eles estavam fazendo no trabalho. Nosso quarto no hospital de Salisbury era só risadas… e amor”, Lucy completou.

Alex, que dirigia um bar com sua esposa Lucy antes de sua doença, agora trabalha como designer de interiores e disse que está “mais feliz que nunca”. “Eu não voltaria à minha antiga vida”, ele disse. “Eu estava apenas existindo. E então fiquei doente. Claro, perdi meus membros, mas percebi uma razão maior para viver que não via antes, que era minha esposa Lucy e meu filho Sam”.

[Telegraph]

Comentários
Carregando...