Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Confira 7 das mais jovens crianças sentenciadas à morte no mundo

A cada dia é mais comum notícias sobre criminalidade estarem intimamente relacionadas com adolescentes e crianças, em uma idade cada vez menor. Tal fenômeno tem sido estudado pela ciência que mostrou que o cérebro humano – especificamente o córtex pré-frontal responsável pelo planejamento, controle de impulsos e previsões – não termina seu desenvolvimento até aproximadamente os 25 anos de idade.

Por mais que vários países insistam em não punir criminosos jovens, existem outros sistemas em que as punições são severas, incluindo a pena de morte. Por exemplo, no regime islâmico um adolescente do sexo masculino pode ser executado aos 14 anos enquanto o sexo feminino com apenas 8 anos de idade pode receber uma pena capital.

De acordo com a Organização Contra a Execução das Mulheres, o regime islâmico do Irã executou 187 jovens entre 1981 e 1990, incluindo nove meninas com idades entre 10 e 13 anos. Não longe disso, o mundo ocidental também compartilha uma longa história de sentenciar crianças à morte. Confira 7 das mais jovens crianças sentenciadas à morte no mundo:

7 – John Dean, de 8 anos de idade, acusado por incendiar um celeiro

Descrito em documentos judiciais como “uma criança entre oito e nove anos”, John Dean foi executado por um incêndio criminoso na Inglaterra de 1629. Dean foi condenado por incendiar dois celeiros na cidade de Windsor e foi morto por enforcamento.

 Não só a idade jovem do impactou as pessoas, como também a forma de punição escolhida. Na época a lei da Inglaterra sobre a responsabilidade criminal era de apenas 7 anos de idade. Eventualmente, essa idade foi aumentada para 8, onde permaneceu até 1963, quando enfim foi aumentada para 10 anos.

6 – Hannah Ocuish, 12 anos de idade, a mais jovem executada nos EUA

A menina mais jovem executada nos EUA foi Hannah Ocuish, uma criança de 12 anos da tribo Pequot. Ela foi enforcada em 1786 depois de assassinar outra criança.

Hanna tinha problemas mentais, sendo acusada de matar a filha de uma proeminente família depois de discutir com ela sobre morangos. Quando o corpo do jovem Eunice Bolles foi descoberto ao lado da estrada, os investigadores questionaram Hannah, que negou o envolvimento no assassinato. Eventualmente, os investigadores a levaram para a casa onde o corpo estava, onde Hannah teria explodido em lágrimas e então confessou o crime. O tribunal determinou que o assassinato foi um ato de vingança depois que Eunice se queixou de que Hannah havia roubado seus morangos.

5 – Giovanni di Giovanni, 15 anos, executado por ser homossexual

Pouco se sabe sobre Giovanni Di Giovanni, que morava na Itália do século 12. Com apenas 15 anos, o menino foi titulado como “um sodomito passivo público e notório”, por conta de sua homossexualidade.

Como castigo, Giovanni foi desfilado em um burro para o “lugar da justiça” além da basílica franciscana de Santa Croce, onde foi castrado publicamente. Ele foi mutilado em sua região inferior com um ferro quente e morreu durante a tortura.

4 – Mary, 13 anos, executada por assassinato

Mary foi uma escrava do Missouri e em 1838, aos 13 anos, foi enforcada depois de ter sido condenada por ter matado uma criança de dois anos de idade. O patrão de Mary havia a escolhido para cuidar de sua filha Jane, que posteriormente foi encontrada jogada em um pequeno rio próximo.  Pouco depois foi determinado que a criança tinha sido atingida na cabeça e jogada na água, até que se afogou.

Mary confessou o assassinato, mas apenas depois que foi amarrada a um tronco e interrogada pelo xerife, que ameaçou chicoteá-la. Assim, o júri determinou a execução.

3 – George Stinney Jr., 14, morto por assassinato

 

Em 1944, George Stinney Jr., um menino afro-americano da Carolina do Sul, de 14 anos, foi condenado à morte por ter matado duas jovens. Ele foi acusado por assassinato depois que os corpos das meninas foram descobertos, tendo sido violentamente espancados até a morte com uma barra de ferrovia. Stinney tinha sido visto no dia anterior escolhendo flores com as vítimas. Só depois que a polícia separou a criança de seus pais e a interrogou fortemente, o adolescente admitiu o crime.

Ele foi negado a um apelo e condenado a morrer por eletrocussão. No momento de sua execução, testemunhas observaram que a pequena estatura de Stinney exigia que ele se sentasse em uma lista telefônica para caber na cadeira elétrica.

2 – Fortune Ferguson, 13 anos – o estuprador condenado à morte

Antes da decisão de Coker v. Georgia de 1977, quando a Suprema Corte dos EUA decidiu que a pena de morte era “punição excessiva” pelo crime de estupro e, portanto, inconstitucional na Oitava Emenda, os estupradores condenados eram comumente executados, incluindo Fortune de 13 anos, em 1927. A criança mais jovem executada nos Estados Unidos no século 20, Ferguson, de descendência afro-americana, foi acusada e condenada por estuprar uma criança de 8 anos em 1925, sendo mais tarde eletrocutada.

1 – James Arcene, enforcado aos 13 anos

James Arcene foi enforcado em 1885 no Arkansas, por um crime cometido quando ele tinha apenas 10 anos de idade. O crime ocorreu em 1872, quando James e William Parchmeal dispararam seis vezes em um colonizador sueco, esmagando seus restos mortais com uma rocha e roubando suas botas e dinheiro, apenas cerca de 25 centavos – ou seja, 5 dólares pelos padrões atuais. Enquanto os dois foram presos e condenados pelo assassinato e assalto, escapando da prisão posteriormente, a justiça foi rápida em encontrá-los e sentenciá-los à morte. [The Richest]

Comentários
Carregando...