Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

Como o furacão Irma ficou tão monstruoso e assustou até mesmo especialistas?

Os meteorologistas perderam as palavras enquanto o furacão Irma intensificava-se como poucas vezes visto antes, atingindo a categoria 5. Carregando ventos “catastróficos” de até 300 km / h, a tempestade agora na Flórida é oficialmente o furacão mais forte já registrado no Atlântico. Mas como ele ficou tão grande?

Uma combinação de fatores parece ser responsável, começando pelo calor. Os furacões extraem sua energia do oceano, com as temperaturas mais altas na superfície do mar fornecendo o combustível para tempestades mais quentes, mais poderosas e de intensidade mais rápida. Agora, as temperaturas da superfície do mar em todo o Atlântico equatorial estão até um grau e meio mais quente do que o habitual – sem mencionar que é o final do verão, então o oceano está em um período mais quente que o resto do ano, embora alguns especialistas ainda dizem que é cedo para dizer que essas águas extra-quentes estão relacionadas às alterações climáticas.

Veja também: Fotos chocantes mostram a destruição sendo causada pelo furacão Irma: o maior da história do Atlântico

Outros especialistas estão sugerindo que as mudanças climáticas são pelo menos parcialmente responsáveis ​​pela ferocidade de tempestade. Tal como aconteceu com o Harvey, esta ligação sem dúvida continuará a ser um assunto de investigação dentro dos círculos científicos por meses, se não nos próximos anos.

Mas você pode ter temperaturas quentes da superfície do mar e ainda não ter tempestades monstruosas como o Irma. O baixo corte vertical do vento e a mudança em sua direção também desempenharam um papel; O forte corte do vento tende evita que os furacões ganhem força. Os níveis excepcionalmente elevados de umidade da superfície para os níveis médios da atmosfera da tempestade também estão fornecendo abundância de combustível para tempestades, blocos de construção de furacões.

Por fim, há a questão da localização. O Irma originou-se nas ilhas de Cabo Verde, ao largo da costa noroeste da África. Como o meteorologista da NOAA, Neal Dorst, disse ao Live Science, as tempestades de Cabo Verde têm o potencial de se sobrealimentar devido à longa caminhada que elas fazem no Atlântico equatorial antes de entrar em terra e enfraquecer.

O único furacão do Atlântico cujas velocidades rivalizaram com o topo do Irma, o furacão Allen (1980), também teve seu início perto de Cabo Verde. Dito isto, tempestades poderosas podem se formar em qualquer lugar sob as condições certas.

Em suma, graças a uma variedade de fatores, o Caribe e a Flórida estão agora enfrentando uma tempestade excepcional e excepcionalmente perigosa. As condições para os furacões da categoria 5 ocorrem no Atlântico tropical todos os anos, mas é raro termos tempestades tão fortes como essa. Infelizmente, é difícil dizer se elas permanecerão uma raridade no futuro. [Weather Underground, Live Science]

Comentários
Carregando...