Pular para o conteúdo
Como as Pirâmides do Egito foram realmente construídas?

Como as Pirâmides do Egito foram realmente construídas?

Enquanto o antigo sol egípcio lançava seus raios dourados sobre a terra, as Grandes Pirâmides de Gizé se erguiam majestosamente, refletindo seu esplendor e o passado ilustre da nação.

Essas maravilhas arquitetônicas eram o ápice da engenhosidade humana, criadas por uma civilização que prosperava em riqueza e influência.

Mas você já se perguntou como essas poderosas estruturas foram construídas e quem eram os gênios por trás delas? Vamos desvendar esse enigma juntos.

O Exército Invisível: Trabalhadores, Equipe de Apoio e o Nilo

Como as Pirâmides do Egito foram realmente construídas?

De acordo com o historiador grego Heródoto, foram necessários 100.000 homens e 20 anos para concluir a Grande Pirâmide. No entanto, descobertas recentes sugerem que uma equipe menor e permanente de 20.000 trabalhadores, juntamente com padeiros, médicos, sacerdotes e outros, teria sido suficiente para a tarefa. Esses trabalhadores, principalmente trabalhadores agrícolas, trabalhariam nas pirâmides quando o rio Nilo estava inundado e seus campos estavam inacessíveis.

As pirâmides de Gizé foram os túmulos reais de três faraós. A Grande Pirâmide foi construída para Quéops, o segundo governante da Quarta Dinastia. Quéfren, o quarto governante, teve a pirâmide do meio construída em sua homenagem. Por último, Miquerinos, o quinto rei, teve a pirâmide mais ao sul e menor construída.

Rampas, Alavancas e o Enigma da Construção das Pirâmides

A questão de como as pirâmides foram construídas ainda confunde a mente de muitos. O cenário mais provável envolve o uso de encostas inclinadas feitas de tijolo, terra e areia. Blocos de pedra eram rebocados por essas rampas usando trenós, rolos e alavancas. Embora a maioria dos egiptólogos concorde com o uso de rampas, há um debate sobre se eram externas ou internas.

Alguns historiadores sugerem que rampas externas foram construídas ao redor da pirâmide, enquanto outros propõem o uso de rampas internas, permitindo que os tijolos fossem montados de dentro para fora. No entanto, o registro arqueológico contém apenas evidências de rampas pequenas e passagens inclinadas, insuficientes para sustentar todo o processo de construção.

A Técnica de Rampa Incremental e a Teoria da Rampa Interna

Uma técnica alternativa, o método de rampa incremental, envolve levantar alternadamente os lados do bloco e inserir cunhas de madeira ou pedra para mover gradualmente a pedra uma camada acima. Essa técnica parece mais plausível do que depender apenas de rampas ou aterros frontais.

A teoria da rampa interna sugere que os blocos foram içados por uma rampa externa curta e reta para o terço inferior da pirâmide. Após a conclusão do terço inferior, uma segunda rampa construída dentro da pirâmide foi usada para os dois terços superiores. Essa rampa interna tinha aberturas em cada canto, permitindo que um guincho de madeira simples girasse os blocos.

Curiosamente, o rio Nilo desempenhou um papel significativo na construção das pirâmides. O extinto ramo Quéops do Nilo era alto o suficiente para permitir que os antigos engenheiros movessem enormes blocos de pedra e construíssem as magníficas pirâmides que conhecemos hoje. Todas as pirâmides do Egito estão estrategicamente localizadas na costa oeste do rio Nilo, e não à toa.

À medida que desvendamos os segredos dessas incríveis pirâmides, não podemos deixar de nos maravilhar com a determinação, criatividade e engenhosidade dos antigos egípcios. Seu legado, gravado em pedra, continua a cativar e inspirar-nos hoje.