Pular para o conteúdo
Com que frequência você deve trocar os lençóis, segundo a ciência?

Com que frequência você deve trocar os lençóis, segundo a ciência?

Com que frequência você troca os lençóis da cama? Uma pesquisa realizada por vários veículos, incluindo o The Independent, descobriu que quase metade dos participantes solteiros do sexo masculino no Reino Unido só lavava os lençóis depois de quatro meses.

Uma lavagem quinzenal de lençóis foi considerada a mais comum em uma pesquisa anterior da YouGov, que nos fez pensar: com que frequência você deve lavar seus lençóis?

Quanto mais tempo passamos embrulhados no mesmo conjunto de lençóis, mais eles se transformam no que os cientistas chamam de “meio ideal de cultura de fungos”. Nosso calor corporal combinado com os litros suor que vazamos na cama anualmente se unem para criar um paraíso para os micróbios.

Em pequenas quantidades, esses micróbios podem não ser tão incômodos, mas com o passar do tempo, eles se tornam um problema maior. Por esse motivo, o microbiologista da Universidade de Nova York, Philip Tierno, sugere uma lavagem semanal dos lençóis.

De acordo com a pesquisa YouGov com residentes do Reino Unido, apenas 33% se enquadram nessa categoria.

O que acontece se você não lavar os lençóis?

Uma pesquisa publicada no Journal of Allergy and Clinical Immunology deu às camas, entre outros móveis, o charmoso apelido de “reservatórios de alérgenos” para descrever a maneira como as substâncias desencadeantes podem se acumular nelas. Isso inclui pêlos de animais, pólen, restos de ácaros e até mesmo fezes.

O acúmulo de alérgenos pode aumentar a probabilidade de uma pessoa desenvolver doenças relacionadas à alergia, como asma, portanto, manter sua cama livre de secreções traz benefícios além de simplesmente torná-la menos nojenta.

Deixar os lençóis cozinhando por três semanas ou mais pode aumentar a probabilidade de bactérias nocivas colonizarem o edredom, incluindo a Staphylococcus aureus, que pode causar desde acne até pneumonia. E. coli é outro culpado comum que, se exposto às partes erradas do corpo, pode desencadear uma infecção na urina ou no peito.

Os ácaros são outro companheiro de cama comum devido ao fato de gostarem de comer células da pele humana. Ah, e nós mencionamos que os ácaros podem viver em seu rosto? Bons sonhos.