Cirurgiões encontram dentes totalmente formados no cérebro de um bebê

Depois de perceber que a cabeça de um bebê estava crescendo excepcionalmente rápido para a idade, os cirurgiões acabaram sendo levados a uma condição médica incrivelmente rara: um tumor cerebral com dentes totalmente formados.

Reportando-se no New England Journal of Medicine, neurocirurgiões da Universidade de Maryland e do Centro de Crianças Johns Hopkins em Baltimore realizaram uma ressonância magnética do cérebro do bebê de 4 meses de idade.

Cirurgiões encontram um dente totalmente formado no cérebro de um bebê
Ilustração – Shutterstock

Os exames revelaram a presença de um tumor do tamanho de uma noz, que também parecia ter várias estruturas pequenas ao longo do lado direito. O bebê foi operado rapidamente para remover o tumor. O próprio crescimento acabou por ser um craniofaringioma, uma forma rara de tumor cerebral derivado do tecido embrionário da glândula pituitária.

Tumores são tipicamente encontrados em crianças pequenas, embora também possam ocorrer em adultos. Eles são encontrados perto da glândula pituitária, que é uma glândula reguladora de hormônios encontrada no fundo do cérebro. Eles são benignos, o que significa que eles não são cancerígenos e geralmente não se espalham, mas podem causar problemas com os hormônios, devido à sua proximidade com a glândula pituitária.

No entanto, este era apenas o começo das características incomuns do caso. Durante a cirurgia no cérebro, os cirurgiões descobriram que o tumor foi incorporado com “múltiplos dentes totalmente formados”.

Os tumores com dentes são geralmente conhecidos como teratomas, que muitas vezes podem conter vários tipos diferentes de tecido, como cabelo, músculo ou osso. No entanto, não está claro como ou por que os dentes acabaram no craniofaringioma.

“Não é todo dia que você vê dentes em qualquer tipo de tumor cerebral. Em um craniofaringioma, é algo inédito”, disse o Dr. Narlin Beaty, neurocirurgião do Centro Médico da Universidade de Maryland, que realizou a cirurgia.

Clique aqui para ver a imagem (conteúdo sensível)

O tumor foi removido e, notavelmente, a criança recuperou-se nos meses seguintes à cirurgia. No entanto, ela continua a sofrer de problemas hormonais ​​e recebe terapia de reposição de hormônios tireoideanos e adrenais. Beaty acrescentou que os dentes foram enviados a um patologista para pesquisas futuras e que as amostras de tecido foram mantidas para outros cientistas investigarem no futuro. [LiveScience]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.