Cientistas recebem visitante inesperado do mar profundo ao inspecionar linha de gás a 900 metros debaixo d’água

por Lucas Rabello
0 comentário 6,3K visualizações

Em 2006, uma equipe de cientistas desceu a uma profundidade de aproximadamente 900 metros no oceano para realizar uma inspeção de um gasoduto para a Helix Energy Solutions. O que era esperado ser um mergulho rotineiro tomou um rumo inesperado quando sua câmera, acoplada a um ROV da Canyon Offshore, capturou a entrada de uma enorme criatura marinha em seu campo de visão.

À medida que a criatura se aproximava, ficou claro que eles estavam encontrando uma baleia cachalote. Esta baleia, que pode crescer até 18 metros de comprimento e pesar até 57.000 quilogramas, diminuiu os equipamentos científicos e até bloqueou completamente a visão da câmera ao passar.

A aparição da baleia a tal profundidade foi tanto impressionante quanto um lembrete contundente das capacidades da vida marinha de existir sob condições extremas. Tipicamente, a pressão em tais profundidades esmagaria maquinários convencionais, mas aqui estava uma criatura biológica, com ossos e órgãos, deslizando sem esforço.

O vídeo que captura esse momento foi posteriormente compartilhado no YouTube e tem circulado amplamente em plataformas de mídia social como Twitter e X. Os espectadores expressaram admiração pela capacidade da baleia de prosperar em um ambiente tão profundo e pressurizado. Um comentário dizia: “Incrível como uma criatura biológica com ossos e órgãos pode resistir à intensa pressão tão profunda. Precisamos construir máquinas com metal muito grosso para chegar tão fundo, e mesmo assim às vezes são esmagadas como latas.”

Outro comentou sobre a capacidade da baleia de se virar sem respirar debaixo d’água, afirmando, “Também o fato de as baleias não poderem respirar debaixo d’água, e mesmo assim ela está apenas passeando no fundo a 900 metros de profundidade.” Esse sentimento destacou as maravilhas fisiológicas desses gigantes marinhos.

As conversas também tocaram nas implicações mais amplas de tais encontros. “É louco pensar que não exploramos o oceano profundíssimo. O que há lá embaixo?” uma pessoa refletiu, destacando os vastos territórios inexplorados que permanecem nas profundezas oceânicas.

As frequentes avistamentos de baleias ao redor de plataformas petrolíferas também foram notados em outros locais, particularmente perto do local de perfuração do Deepwater Horizon no México. Aqui, o norte do Golfo abriga cerca de 3.000 cachalotes ameaçados de extinção. Esses avistamentos sugerem uma relação complexa entre a vida marinha e as atividades humanas, como a perfuração, que pode perturbar o ambiente submarino com ruídos e outras perturbações.

Deixar um comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados