Cientistas encontram provável caverna onde viveram os últimos Neandertais

Uma antiga câmara escondida por mais de 40 mil anos foi descoberta em uma caverna de Gibraltar. De acordo com especialistas, esta novidade pode revelar mais detalhes sobre os Neandertais que viveram naquela região.

“Visto que a areia que escondia a câmara tinha mais de 40 mil anos de idade, provavelmente havia Neandertais vivendo nela “, disse Clive Finlayson, diretor do Museu Nacional de Gibraltar, em conversa com o portal americano ‘LiveScience’.

A equipe liderada por Finlayson estava estudando a caverna por acaso, quando acabou descobrindo uma área oca. Depois de escalar aquele ponto, eles descobriram que a caverna possui 13 metros de comprimento, com estalactites penduradas no teto da câmara. Foram encontrados, também, restos de alguns animais como linces e hienas, que provavelmente foram levados para lá pelos neandertais que viviam ali.

Agora, os pesquisadores pretendem realizar uma série de escavações no local, e as expectativas são promissoras. “Encontramos o dente de leite de um Neandertal de 4 anos perto da câmara há alguns anos. Este dente foi encontrado próximo dos restos mortais de hienas, o que sugere que talvez os animais tenham levado a criança já morta para dentro da caverna”, disse Finlayson.

Museu Nacional de Gibraltar

Os pesquisadores já descobriram várias evidências da presença de Neandertais neste sistema de cavernas, conhecido como “Complexo das Cavernas de Gorham”, incluindo uma escultura que supostamente foi uma das primeiras obras de arte feitas por Neandertais. Neste mesmo sítio arqueológico, outros grupos de pesquisadores já descobriram que nossos antepassados caçavam focas, usavam penas de aves de rapina como ornamentos e até mesmo faziam uso de ferramentas consideradas bem avançadas para a época.

De acordo com os cientistas, esse sistema de cavernas pode ter sido um dos últimos lugares onde nosso antepassados Neandertais viveram antes da sua extinção, há cerca de 40 mil anos.

Nos próximos meses, a partir de novas pesquisas que devem ser realizadas no local, os pesquisadores pretendem surgir com novidades.


Com informações do ScienceAlert e do LiveScience.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.