30 ovos de dinossauro são encontrados em ninho fossilizado na Espanha

Arqueólogos conseguiram extrair com sucesso 30 ovos de titanossauro de uma rocha de duas toneladas, encontrada no norte da Espanha. Supostamente, a pedra ainda guarda outros 70 ovos que até o momento não foram retirados.

O titanossauro era um saurópode dotado de um largo pescoço que viveu até a extinção final dos dinossauros no final do período Cretáceo, há cerca de 66 milhões de anos. A rocha, que continha um ninho fossilizado, foi encontrada em uma escavação em Loarre, na província de Huesca, no nordeste da Espanha.

University of Zaragoza/Zenger

O trabalho foi feito por uma equipe internacional de paleontólogos liderada pelo Grupo Aragosaurus-IUCA, da Universidade de Zaragoza, em colaboração com a Universidade Nova de Lisboa, em Portugal. Miguel Moreno-Azanza, Carmen Nunez-Lahuerta e Eduardo Puertolas lideraram 25 paleontólogos e estudantes de instituições espanholas, portuguesas e alemãs no projeto.

De acordo com Moreno-Azanza, em uma entrevista concedida recentemente, dois ninhos foram escavados em 2020, e cerca de 30 ovos foram descobertos na rocha. “O objetivo principal do trabalho em 2021 foi a extração de um grande ninho que contém pelo menos 12 ovos que foram integrados em um bloco de rocha de mais de duas toneladas”, explicou ele. “No total, cinco pessoas dedicaram oito horas por dia durante 50 dias para escavar o ninho, que foi removido com a ajuda de uma escavadeira”.

University of Zaragoza/Zenger

De acordo com Moreno, a previsão é de que em breve parte das descobertas sejam expostas em um museu para visitação. “O museu tem duas salas de exposição onde será explicada a metodologia de uma complexa escavação paleontológica”, revelou. De acordo com ele, a exposição será feita em uma sala satélite do Museu de Ciências Naturais da Universidade de Zaragoza, apresentando espécimes do sítio arqueológico de Loarre e réplicas dos ovos de dinossauros encontrados em outras partes do mundo.

As escavações são financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia de Portugal e pelo Ministério da Ciência da Espanha.


Com informações do NewsWeek e Zenger News.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.