Cientistas encontram parasita que se alimenta da língua de peixes, assumindo o lugar delas

Um grupo de pesquisadores que estavam trabalhando com representantes do Parque Estadual da Ilha de Galveston, nos Estados Unidos, fez uma descoberta no mínimo assustadora dentro da boca de um peixe. Ao examinar uma corvina, espécie tradicional da costa do Texas, os cientistas encontraram uma criatura vivendo lá dentro, como se estivesse substituindo a língua do animal. Segundo os pesquisadores, o que eles encontraram é um tipo raro de parasita, conhecido como “piolho comedor de língua”. Nome bastante sugestivo, não?

Reprodução/Galveston Island State Park

Apesar de raro, este parasita assustador não é assim tão desconhecido pela comunidade científica. Na verdade, esta espécie é conhecida por habitar a região do Golfo do México. Para sobreviver, estes parasitas invadem os peixes por meio das guelras, se alimentando da língua dos animais e, pouco a pouco, assumindo o lugar dela. De acordo com o biólogo Kory Evans, que concedeu entrevista ao portal ‘UOL’, alguns peixes acabam passando o resto de suas vidas com este parasita na boca, já que ele não impede a alimentação. O problema é que, em alguns casos, pode haver mais de um parasita habitando um mesmo peixe, e aí sim as coisas podem ficar ruins. Isso porque o peixe afetado pode acabar totalmente sem espaço para se alimentar.

Evans descobriu pelo menos dois parasitas desta espécie vivendo entre um grupo de peixes enquanto o especialista realizava uma bateria de análises envolvendo os crânios dos animais. O biólogo diz que a ciência já conhece uma série de espécies com esta estranha habilidade, e que elas são estudadas, pelo menos, desde 1970.

E ainda que os parasitas normalmente não ofereçam um risco assim tão grande aos peixes, eles podem ser bastante incômodos, como você pode imaginar. Por isso, Evans garante que se alguém tentar retirar um desses parasitas de dentro da boca de um peixe, certamente estará fazendo “um grande favor” ao animal. Felizmente, o pesquisador garante que estes parasitas não têm a menor capacidade de fazer mal aos seres humanos.


Com informações do UOL.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.