Céline Dion compartilha imagens chocantes de si mesma sofrendo convulsão em meio à batalha contra a Síndrome da Pessoa Rígida

por Lucas Rabello
Publicado: Atualizado em 3,2K visualizações

Céline Dion, de 56 anos, forneceu um olhar íntimo sobre sua luta contra a Síndrome da Pessoa Rígida (SPR) em um documentário que será lançado em breve. Diagnosticada em 2022, a experiência de Dion com essa rara desordem neurológica autoimune, que causa rigidez muscular e espasmos dolorosos, é documentada no filme “Eu Sou: Céline Dion”, dirigido por Irene Taylor. O documentário tem como objetivo lançar luz sobre as realidades de viver com a SPR, capturando momentos de intensa vulnerabilidade e resiliência.

A Síndrome da Pessoa Rígida é caracterizada por rigidez muscular e espasmos que flutuam, podendo piorar com o tempo. Em uma cena particularmente angustiante do documentário, Dion é mostrada enfrentando uma convulsão de 10 minutos durante uma consulta com profissionais de saúde. As imagens revelam a cantora lutando para respirar enquanto especialistas tentam aliviar sua dor. Após a convulsão, Dion se cobre com um cobertor, expressando o impacto emocional de perder o controle sobre seu corpo. Ela descreve a profunda vergonha e impotência que acompanham esses episódios.

Apesar da gravidade de sua condição, Dion permanece determinada a continuar sua carreira. Ela enfatiza seu compromisso em encontrar maneiras alternativas de se apresentar, afirmando: “Ainda me vejo dançando e cantando. Sempre encontro o plano B e o plano C. Se não posso correr, vou andar. Se não posso andar, vou engatinhar. Mas não vou parar.” Sua resiliência e dedicação inabalável ao seu ofício são temas centrais do documentário.

A diretora Irene Taylor refletiu sobre a decisão de incluir as imagens perturbadoras no filme. Inicialmente incerta sobre filmar a convulsão, Taylor lembrou-se da instrução de Dion para não pedir permissão para capturar tais momentos. Taylor decidiu continuar filmando, equilibrando seu papel como cineasta com a preocupação imediata pelo bem-estar de Dion. A equipe médica presente durante a convulsão havia recebido treinamento específico para lidar com tais situações, garantindo que Dion estivesse em mãos capazes.

Taylor observou que Dion insistiu em manter as imagens na versão final do documentário. “O que você vê neste filme final é exatamente o que eu mostrei a ela pela primeira vez. Ela não queria que eu mudasse nada,” explicou Taylor. Esta decisão reforça o compromisso de Dion com a autenticidade e seu desejo de fornecer um retrato sincero de sua vida com a SPR.

O lançamento de “Eu Sou: Céline Dion” coincide com o anúncio recente de Dion de que ela não poderá cumprir a programação planejada de sua turnê mundial. Em uma mensagem aos fãs, Dion reiterou sua determinação em não desistir e expressou sua vontade de retornar ao palco no futuro. “Quero que todos vocês saibam, eu não estou desistindo… e mal posso esperar para ver vocês de novo!” disse ela.

O documentário está disponível mundialmente no Prime Video a partir de 25 de junho. Ele oferece uma visão sem precedentes sobre os desafios enfrentados por Dion, ilustrando seu espírito duradouro e as duras realidades da Síndrome da Pessoa Rígida.

Lucas Rabello
Lucas Rabello

Fundador do portal Mistérios do Mundo (2011). Escritor de ciência, mas cobrindo uma ampla variedade de assuntos. Ganhou o prêmio influenciador digital na categoria curiosidades.

Mistérios do Mundo 2024 © Todos os direitos reservados