Casal em grande incêndio vive seus últimos momentos em situação assustadora

Um casal preso no incêndio do aranha-céus de Londres passou seus últimos momentos ligando para suas famílias na Itália para se despedirem dolorosamente, de acordo com relatórios.

Gloria Trevisan e Marco Gottardi, ambos arquitetos de 27 anos, ficaram presos em seu apartamento no 23º andar da Torre de Grenfell, que ficou em chamas, informou o site Telegraph.

Mistérios do Mundo

“Obrigado pelo que você fez por mim”, disse Trevisan à mãe, que gravou sua conversa final.

O casal mudou-se para Londres em março, depois que Trevisan não conseguia um emprego que pagasse mais de 300 euros por mês – ou cerca de US $ 335.

Trevisan primeiro ligou para sua família para dizer que um incêndio se alastrou no terceiro andar, de acordo com a mídia italiana. Ela pensou que os bombeiros tivessem apagado as chamas muito antes de chegarem aos andares superiores.

A situação piorou mais tarde e a mãe da jovem pediu para falar com o namorado de Trevisan, que tentou acalmar a todos.

“Os bombeiros estão aqui, tudo está bem”, disse Gottardi.

Mas quando seus pais ligaram a TV em sua casa perto de Pádua, eles viram o fogo consumindo o edifício onde o casal se encontrava. Por volta das 4 da manhã, a fumaça entrou no apartamento.

Mistérios do Mundo
Foto surpreendente mostra o poder colossal do fogo

Trevisan percebeu que seu tempo estava acabando.

“Sinto muito, eu nunca poderei te abraçar novamente. Eu tive toda minha vida à minha frente. Não é justo. Não quero morrer. Eu queria ajudá-la, para agradecer por tudo o que fez por mim”, disse ela, informou o jornal italiano La Repubblica.

“Estou prestes a ir para o céu, eu vou ajudá-la de lá”, disse ela.

Enquanto isso, Gottardi tentou tranquilizar seu pai, Giannino.

“Há muita fumaça, mas não se preocupe, estamos à espera dos socorristas. Abrimos a porta da frente, mas havia muita fumaça para poder sair. Os elevadores estão bloqueados”, disse Gottardi.

O pai de Gottardi disse aos repórteres italianos que seu filho inicialmente disse que tudo estava sob controle.

“Mas na segunda chamada – e não consigo tirar isso da minha cabeça – ele me disse que havia fumaça, que muita fumaça estava aumentando”, disse Giannino. “Não há nada mais que possamos fazer do que esperar por um milagre”.

[NYpost]

Comentários
Carregando...