Brasil supera países da Europa e tem a maior taxa de contágio de coronavírus do mundo

Um estudo feito por pesquisadores do Imperial College London e pela Universidade de Sussex analisou 48 países de maior incidência de coronavírus e revelou que o Brasil superou a tendência de crescimento da pandemia.

A pesquisa foi publicada nessa quarta-feira, dia 29 de abril de 2020, e aponta que até este domingo o número de mortes pelo COVID-19 pode chegar a 10 mil, sendo 5.680 novas mortes somadas com as já existentes. Para se ter ideia, no Brasil a taxa vem crescendo a um número tão alarmante que uma única pessoa contaminada pelo Sars-Cov-2 infecta quase três pessoas.

Para elaborarem o estudo, os pesquisadores levaram em consideração a variável “R”, um número de reprodução do vírus usado pelos cientistas para terem ideia sobre quantas outras pessoas um indivíduo infectado poderia transmitir a doença.

Nessa análise, se o R for superior a 1, indica que há um aumento de infectados, enquanto abaixo de 1 indica uma desaceleração. Caso o número seja 2, há uma possibilidade do número de infecções duplicarem em um curto espaçamento de tempo e assim por diante.

O Brasil é líder no ranking, com a taxa de transmissão R 2,81, enquanto a Grécia possui a menor taxa de contaminação, de R 0,41.

Veja a lista completa dos países analisados:

@Shutterstock

Os dez países mais afetados são:

#1 Brasil: 2,81

#2 Irlanda: 2,24

#3 México: 1,95

#4 Polônia: 1,78

#5 Peru: 1,55

#6 Rússia: 1,52

#7 Paquistão: 1,48

#8 Canadá: 1,47

#9 Japão: 1,42

#10 Índia: 1,39

@Shutterstock

Em sequência, o restante dos países comparados no estudo:

Arábia Saudita: 1,37

Sérvia: 1,33

Romênia: 1,32

Argentina: 1,32

Egito: 1,30

Chile: 1,26

Filipinas: 1,19

Suécia: 1,17

Marrocos: 1,17

Hungria: 1,16

Indonésia: 1,05

Colômbia: 1,04

Bélgica: 1,03

Finlândia: 1,01

Estados Unidos: 0,98

Irã: 0,97

Bangladesh: 0,96

Turquia: 0,93

Ucrânia: 0,91

França: 0,85

Áustria: 0,84

Panamá: 0,81

Alemanha: 0,80

Portugal: 0,78

Noruega: 0,78

Dinamarca: 0,77

Argélia: 0,77

Espanha: 0,72

Reino Unido: 0,72

Suíça: 0,71

Equador: 0,71

Países Baixos: 0,68

Itália: 0,67

República Checa: 0,66

Coreia do Sul: 0,5

Israel: 0,52

República Dominicana: 0,44

Grécia: 0,41

De acordo com o Imperial College, 2.360 mortes é o número mínimo que pode ocorrer, enquanto o máximo de mortes previstas é de 9.770. Indo de encontro com essa informação, nessa quarta-feira (29 de abril de 2020),

um balanço do Ministério da Saúde amontou a 5.017 mortes por Covid-19, o que revela uma alta de 7% em relação ao número anterior.

Cada país implantou medidas diversas de contenção contra o coronavírus para diminuir a taxa de transmissibilidade: em Nova York, nos Estados Unidos, a título de exemplo, quando houve um aumento na taxa de contágio, foram adotadas mais medidas de restrição de circulação.

@Shutterstock

Muitos países estão em Lockdown, o isolamento total – que é muito diferente da quarentena. Porém no Brasil as autoridades discutem a retomada das atividades em breve enquanto uma parcela da população não leva as medidas a sério.

Segundo dados da Universidade Johns Hapkins, até 29 de abril, mais de 3,1 milhões de pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e 227 mil morreram pela pandemia. [G1][Folha Vitória][Folha de São Paulo]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.