Pular para o conteúdo
Bebê mexicana nasce com uma "cauda"

Bebê mexicana nasce com uma “cauda”

Recentemente, notícias sobre uma menina recém-nascida no México com uma “cauda” viralizaram na internet.

Segundo um estudo publicado no Journal of Pediatric Surgery, a condição é extremamente rara e a cauda foi removida cirurgicamente do corpo da menina. O bebê nasceu por cesariana em um hospital local no nordeste do México e a mãe não apresentou histórico de exposição à radiação prejudicial nem infecções durante a gravidez que justificassem a anomalia.

A cauda media 5,7 cm de comprimento e tinha entre 3 e 5 mm de espessura, com pelos e pele por toda parte. Ela não estava conectada ao sistema nervoso da menina e foi removida com sucesso quando a criança tinha 2 meses de idade. O procedimento foi realizado com a cirurgia de plastia de Limberg e a menina não teve complicações, tendo sido liberada rapidamente.

Bebê mexicana nasce com uma "cauda"

Os humanos já tiveram caudas em algum momento da nossa evolução, mas ao longo dos milhares e milhares de anos, perdemos essa característica. No entanto, em casos raros como este, a cauda pode continuar crescendo após o nascimento.

A condição é conhecida como cauda humana congênita e é causada por uma mutação genética. Em geral, essas caudas são pequenas e não possuem função, mas às vezes podem conter músculos e nervos.

A maioria das caudas humanas congênitas é removida logo após o nascimento, pois podem causar problemas de locomoção ou podem ser fonte de bullying ou discriminação caso os pais optem por não removê-la.