fbpx

Suposta baleia espiã russa se recusa a deixar a Noruega

Uma suposta baleia-espiã russa está se recusando a deixar uma cidade portuária norueguesa depois de uma semana de atenção global sobre a beluga não identificada. [Misteriosa baleia encontrada na Noruega pode ser arma naval criada pela Rússia]

O oficial norueguês da Diretoria de Pesca, Jorgen Ree Wiig, disse ao Washington Post que a beluga foi a primeira coisa que viu do lado de fora da janela de seu navio de patrulha pela manhã.

Suposta baleia espiã russa se russa a deixar a Noruega
Jorgen Ree Wiig/Norwegian Directorate of Fisheries/

Falando da cidade de Hammerfest, ele disse que a baleia havia se movido apenas cerca 46 quilômetros na última semana e parecia gostar da proximidade com humanos, que ele observou ser “estranho” para uma beluga.

Ao contrário do comportamento normal da espécie, a beluga permitiu que os moradores acariciassem seu nariz nos últimos dias.

A baleia foi descoberta pela primeira vez por pescadores noruegueses na semana passada, quando perceberam que a baleia desafiava o comportamento normal perseguindo persistentemente seus barcos. Os pescadores, em seguida, avistaram um estranho arreio enrolado no corpo da baleia.

Wiig disse que uma inscrição no arnês que mais tarde recuperaram leu “Equipamento de São Petersburgo”. Ele disse que entregou o equipamento à agência especial de segurança da polícia norueguesa (PST).

Nenhum detalhe sobre o status do arnês foi divulgado e o PST não respondeu imediatamente a uma solicitação de comentários na quinta-feira.

Pesquisadores dizem que o equipamento pode ter carregado armas ou câmeras, provocando novas especulações sobre um programa de operações especiais de mamíferos marinhos que a marinha russa está buscando há anos.

Embora o Ministério da Defesa da Rússia tenha negado a existência de tal programa, o mesmo ministério publicou um anúncio em 2016 em busca de três golfinhos machos e duas fêmeas e oferecendo um total de US$ 24.000.

Nesta parte da Europa, ninguém ficaria surpreso se a última descoberta norueguesa realmente se transformasse nas consequências de um experimento militar que deu errado.

Desde a anexação russa da Crimeia em 2014, tem havido uma lembrança assustadora do enorme aparato militar que se encontra nos arredores da Europa: submarinos misteriosos; jatos não identificados, e estranhos movimentos de tropas.

Se os noruegueses precisam de conselhos sobre a última descoberta, eles podem pedir ajuda aos aliados dos EUA. Embora a possível existência de um programa militar de mamíferos marinhos russos parecesse espantosa quando foi tornada pública na semana passada, na década de 1950 foram os Estados Unidos que lideraram o uso de mamíferos marinhos para fins militares.

De acordo com a Marinha dos EUA, seus próprios recrutas de golfinhos e leões-marinhos são usados ​​para localizar minas marítimas, recuperar objetos do fundo do oceano e coletar informações para mergulhadores militares. Eles não estão, no entanto, envolvidos em operações ofensivas.

Com menos experiência em lidar com mamíferos marinhos treinados pelos militares do que com os seus homólogos americanos, as autoridades norueguesas estavam ponderando o que fazer com a beluga.

Uma opção, disse Wiig, era transportar o animal – que ainda não recebeu um nome – para um santuário na Islândia, a cerca de 2.000 quilômetros de Hammerfest.

Essa proposta, ele disse, pode aumentar as chances de sobrevivência da baleia. [ScienceAlert]

você pode gostar também
1 comentário
  1. Bubacar Diz

    Eu gostei

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.