Austrália quer matar 2 milhões de gatos até 2020

Gatos são fofos, bonitos e são o inimigo público número um da Austrália no momento.

A Austrália está em guerra – com gatos selvagens. Até 2020, o governo quer matar dois milhões de gatos abandonados, uma grande fatia da população total de felinos, estimada entre 2 e 6 milhões.

Austrália declara guerra aos gatos
Shutterstock

Algumas áreas da Austrália foram ainda mais longe. No estado de Queensland, no nordeste do país, há até mesmo um conselho que oferece uma recompensa de US$ 10 por couro cabeludo de gatos selvagens – uma política que o People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) criticou como “cruel”.

O problema também não é exclusivo da Austrália. Na vizinha Nova Zelândia, um proeminente ambientalista propôs um futuro livre de gatos, com gatos domésticos e selvagens controlados ou abatidos.

Então, por que eles não gostam de gatos?

Gatos assassinos

Austrália declara guerra aos gatos
Shutterstock

A resposta é simples: os gatos, especialmente os selvagens, são assassinos.

Acredita-se que o primeiro gato tenha chegado à Austrália em algum momento no século XVII. Desde então, seu número aumentou, com a população hoje estimada cobrindo 99,8% do país.

Embora os gatos selvagens pertençam à mesma espécie dos gatos domésticos, os gatos selvagens vivem na natureza, onde são forçados a caçar para sobreviver.

Desde que foram introduzidos pela primeira vez por colonos europeus, os gatos selvagens ajudaram a levar cerca de 20 espécies de mamíferos à extinção, disse Gregory Andrews, comissário nacional de espécies ameaçadas, ao Sydney Morning Herald. De acordo com Andrews, isso faz com que os gatos selvagens sejam a maior ameaça às espécies nativas da Austrália.

E isso é significativo para uma nação insular que foi cortada do resto do mundo por milhões de anos. Hoje, estima-se que 80% dos mamíferos da Austrália e 45% de suas aves não são encontrados em nenhum outro lugar da Terra.

Para gatos, as espécies nativas são presas fáceis. Acredita-se que os gatos matem mais de 1 milhão de aves nativas e 1,7 milhão de répteis na Austrália todos os dias, disse um porta-voz do Departamento de Meio Ambiente e Energia da Austrália à CNN, citando pesquisas científicas. E não há predadores para esses animais, que poderiam equilibrar o bioma.

Algumas das outras espécies ameaçadas incluem o Conilurus penicillatus, que o governo classifica como vulnerável, e o bandicoot-dourado, semelhante a um rato.

“Estamos caçando gatos por causa disso, não porque odiamos esses animais”, disse Andrews. “Temos que fazer escolhas para salvar animais que amamos e que nos definem como nação.” [CNN]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.