“Angelina Jolie iraniana” é presa por blasfêmia em suas postagens no Instagram

Eles a chamavam de  “Angelina Jolie iraniana”, “Angelina Jolie zumbi” ou “a noiva cadáver”. Disseram que ela até passou por mais de 50 cirurgias para se parecer com a protagonista de Malévola. E foi assim que Sahar Tabar ganhou fama.

No entanto, embora tenha atingido milhares de seguidores nas redes sociais, parece que as autoridades iranianas não estavam felizes com a garota, porque a prenderam pelo crime de “blasfêmia” (insulto a Deus e costumes sagrados), segundo o Daily Mail.

O tribunal do Teerã, responsável por “crimes culturais e corrupção moral”, prendeu recentemente a mulher após ela ser acusada de incitar violência, não cumprir o código de vestuário nacional e também induzir jovens, subornar e obter renda por meios inadequados.

Tabar foi apelidada de maneiras diferentes quando ela estava saltando para a fama. Mas ela se defendeu e garantiu que nunca operou ou que não tentou se parecer com Jolie , era apenas um hobby.

Foto: Reprodução

“Eu nunca pensei em parecer com Jolie. E também não quero parecer o personagem de desenho animado ‘A Noiva Cadáver’. Toda vez que posto uma foto, faço meu rosto parecer mais divertido e engraçado. É uma forma de auto-expressão, um tipo de arte. Meus fãs sabem que esse não é o meu rosto de verdade.”, disse Sahar Tabar.

De acordo com Sahar, era tudo feito com Photoshop e maquiagem, e ela nunca havia passado por tantas intervenções cirúrgicas quanto algumas pessoas disseram.

Foto: Reprodução

Por outro lado, não se conhecem mais detalhes da prisão da jovem maquiadora. O Instagram é a única rede social permitida no Irã e a polícia naquele país já possui poder que lhes permite controlar e excluir perfis na rede social. Tabar passa a integrar uma longa lista de influenciadores e blogueiros iranianos punidos e perseguidos.

Não se sabe onde Sahar está sendo mantida. Suspeita-se que ela tenha sido levada a penitenciária de Evin, perto de Teerã,  considerada uma das piores prisões do país, famoso por histórias de tortura, estupro e execuções.

você pode gostar também
1 comentário
  1. MONICA MARIA Diz

    Eita parece que a mulher se ferrou desta vez
    .

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.