A diferença entre psicopatas e sociopatas

Shutterstock

Você tem dúvidas das diferenças entre sociopatas e psicopatas? Se sim, você não está sozinho. Até mesmo psicólogos forenses, criminologistas e policiais podem usar erroneamente os termos.

A quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), divulgado pela Associação Americana de Psiquiatria em 2013, lista sociopatia e psicopatia sob o título de Transtornos da Personalidade Anti-Social (ASPD). Esses distúrbios compartilham muitos traços comportamentais comuns, o que leva a muitos enganos. Entre as características que os sociopatas e psicopatas compartilham estão:

  • Não cumprem as leis e costumes sociais
  • Não cumprem os direitos de outras pessoas
  • Não sentem remorso ou culpa
  • São propensos a mostrar comportamento violento e/ou agressivo

Mas sociopatas e psicopatas também têm suas próprias características e origens comportamentais únicas.

A diferença entre psicopatas e sociopatas
Shutterstock

Sociopatas têm a tendência a ficarem nervosos com facilidade, e ficam agitados frequentemnte. São voláteis e propensos a explosões emocionais, incluindo crises de raiva. São mais propensos do que os psicopatas a serem ignorantes e viverem à margem da sociedade. Muitas vezes não são capazes de ter um emprego estável ou ficar em um lugar por muito tempo. Muitas vezes é difícil, mas não totalmente impossível, para os sociopatas formarem ligações com outras pessoas.

Grande parte dos sociopatas são capazes de criar um apego a um determinado indivíduo ou grupo de pessoas, apesar de não terem respeito pela sociedade ou por suas leis em geral.

Do ponto de vista de outras pessoas, os sociopatas tendem a ser perturbados ou erráticos. Qualquer crime que cometam, como homicídio, tende a casual e espontâneo, sem nenhum planejado, o que facilita o trabalho da investigação policial em relação aos psicopatas.

Ao contrário dos sociopatas, os psicopatas não conseguem criar laços emocionais ou ter empatia pelos outros. Eles tendem a ser agressivos e predatórios por natureza, vendo outros seres humanos como meros objetos cuja finalidade é a diversão. Apesar de não terem empatia, os psicopatas muitas vezes têm personalidades encantadoras, sendo exímios manipuladores e podem conquistar com muita facilidade a confiança das pessoas, principalmente as mais influenciáveis. Por conta disso, os psicopatas muitas vezes são bem instruídos e conseguem se manter em empregos estáveis, e muitas vezes em altos cargos.

Alguns psicopatas são tão bons na arte da manipulação e imitação que conseguem manter famílias e relacionamentos por várias décadas sem que os que o rodeiam desconfiem de sua natureza terrível. Quando cometem um crime, os psicopatas planejam cuidadosamente todos os detalhes com antecedência e inteligência, e geralmente têm planos de contingência em vigor. Eles parecem imperturbáveis em uma crise. [Esses são os 6 sinais que indicam que uma criança pode ser psicopata]

Diferentemente dos sociopatas, os psicopatas criminosos são frios, calmos e meticulosos, os tornando criminosos muito eficientes e difíceis de serem descobertos pela polícia.

Há outra diferença fundamental entre as duas condições. Enquanto um psicopata nasce desse modo (genética), a sociopatia é o resultado do ambiente em que a criança cresce, muitas vezes como resultado de um trauma infantil ou abuso físico e/ou emocional, o que explica porque os sociopatas ainda conseguem ter ligação com certas pessoas, e outras não. A psicopatia, por outro lado, está ligada a um defeito fisiológico que causa um subdesenvolvimento da parte do cérebro responsável pelo controle dos impulsos e emoções. [PsychologyToday]

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.