A ciência explica: a prática realmente faz a perfeição?

Há um mito de longa data que, a fim de dominar uma habilidade, tudo o que é preciso fazer são cerca de 10.000 horas de prática. A ideia foi popularizada com base em um estudo de músicos feito pelo psicólogo K. Anders Ericsson em 1993. E apesar do ceticismo por parte dos pesquisadores, a regra foi alegremente aceita por muitos como um vislumbre de esperança de que talvez, um dia, se as pessoas realmente praticassem muito, elas poderiam se tornar especialistas em algo, como tocar piano.

Mas desculpe por acabar com seus sonhos aqui. Os cientistas desmistificaram o mito de uma vez por todas, e mostraram que, enquanto algumas pessoas podem tornar-se especialistas com 10.000 horas de prática – ou menos – muitas não podem, e há mais coisas envolvidas do que apenas trabalho duro. De fato, uma equipe internacional de psicólogos descobriu que a prática deliberada só pode explicar cerca de um terço da diferença de níveis de habilidade em jogadores de xadrez e músicos.

Isso deixa “a maioria da variância confiável inexplicável e, potencialmente, explicável por outros fatores”, a equipe escreveu na revista Intelligence, onde os seus resultados foram publicados. Esses fatores, estamos assumindo, são talento natural e habilidades genéticas.

“Um jogador de xadrez, por exemplo, tinha levado 26 anos para atingir um nível que outro alcançou em apenas dois anos. Claramente, há mais fatores do que apenas o volume de horas praticada, o estudo argumenta”.

“A evidência é muito clara”, escreveu o principal autor David Hambrick da Universidade Estadual de Michigan, nos EUA, em um comunicado à imprensa” “Algumas pessoas chegam a um nível de elite de desempenho sem prática abundante, enquanto outras pessoas não conseguem fazê-lo, apesar de prática abundante.”

Ericsson não concordou com estas conclusões em um documento de acompanhamento, onde ele criticou os pesquisadores por estudar muitos iniciantes e não especialistas em número suficiente. Mas ele também tem suas dúvidas sobre a natureza da regra de 10 mil horas. [ScienceAlert]

Comentários
Carregando...