9 ilhas tão bizarras que você nem vai acreditar que existem

Versão em vídeo:

Quando pensamos em ilhas, automaticamente imaginamos paisagens paradisíacas em que podemos desfrutar de muitos aperitivos ao som de boa música e boa companhia. Mas, também não podemos nos esquecer daquelas ilhas repletas de criaturas estranhas e segredos misteriosos.

9 – Ilha de Queimada Grande, a “Ilha das Cobras”, no Brasil

Wikipedia

Para começar essa lista com um assunto nada agradável, que tal saber que existe basicamente um “resort de cobras” bem perto de você, que é brasileiro?

A porção da Ilha de Queimada Grande está localizada a 35 km do litoral de São Paulo, nas cidades de Itanhaém e Peruíbe, e estima-se que existam entre 2000 e 5000 cobras da espécie jararaca-ilhoa na região – uma das espécies mais venenosas do mundo! Essa quantidade dá, aproximadamente, uma cobra por metro quadrado nas bordas da ilha e até cinco cobras por metro quadrado no interior dela. Por isso, a ilha é considerada no meio científico como “o maior serpentário natural do mundo”.

Os animais da região se alimentam de aves migratórias e por conta do seu nível de periculosidade, a ilha se encontra fechada – é necessário uma autorização governamental para visitar a ilha, para fins de estudo ou gravações de documentários.

8 – Isola La Gaiola, Itália

Wikipedia

Já imaginou ficar preso em uma ilha que tem fama de “mal-assombrada”? Bem, se você tiver medo de história sobrenaturais, é melhor ficar longe da Isola La Gaiola, uma ilha da cidade italiana de Nápoles – já que ela possui má reputação no mundo todo devido a “má sorte” associada a muitos de seus frequentadores.

Há várias ruínas pela ilha datadas da época dos romanos e algumas dessas estruturas estão debaixo d’água, sendo agora abrigo para criaturas marinhas.

Agora vem a parte mais assustadora: a história das pessoas que viveram ali. Uma série de infortúnios assolou a ilha por volta da década de 1920, quando o então proprietário, um suíço chamado Hans Braun, foi encontrado morto de maneira brutal e teve seu corpo enrolado em um tapete.

Indignada com o ocorrido, a esposa de Hans se afogou no mar. Depois disso a ilha passou para o alemão Otto Grunback, que morreu de um ataque cardíaco. Posteriormente, o seguinte dono, o industrial farmacêutico Maurice-Yves Sandoz, acabou enlouquecendo na ilha e foi parar em um hospital psiquiátrico na Suíça, onde cometeu suicídio.

A ilha passou para o seguinte proprietário, um industrial do aço da Alemanha, o Barão Karl Paul Langheim, que teve sua vida financeira quebrada enquanto morava ali.

Os últimos donos estão associados com crimes e existem até relatos de sequestros de seus próprios filhos.

Então uma sugestão é tirar a ilha do seu roteiro de viagem, não é mesmo?

7 – “A Ilha dos Cavalos Selvagens e dos Naufrágios” do Canadá

Shutterstock

A Ilha Sable é uma pequena ilha arenosa com apenas 34 km² de superfície e 42 km² de extensão, localizada em Nova Escócia, uma província canadense. Essa ilha ficou conhecida como “A Ilha dos Cavalos Selvagens e dos Naufrágios” por conta de uma série de naufrágios que ocorreu ao longo do tempo, resultando na morte de muitos tripulantes e, milagrosamente, na sobrevivência de muitos de seus cavalos que estavam a bordo nas embarcações.

Ninguém sabe como os cavalos sobreviveram ao certo, pois a ilha não possui árvores ou grama, mas eles conseguiram se reproduzir e vivem por lá até hoje.

Estima-se que existam mais de 450 cavalos selvagens e sua forma de viver ainda permanece um mistério, pois não há abastecimento de água na ilha, de forma que os bichinhos precisam contar com a água da chuva para beberem.

6 – Deer Island, a ilha das sociedades secretas

Shutterstock

Deer Island fica localizada em uma região com muitas outras ilhas, chamada Saint Lawrence River, nos Estados Unidos. Essa ilha ficou conhecida por ter abrigado uma suposta sociedade secreta composta de formandos da universidade de Yale –  George W. Bush e John Kerry são exemplos de supostos membros que teriam participado desta sociedade.

Apesar das especulações, existem poucas informações oficiais sobre as atividades que foram realizadas nesse local, o que deixa a ilha com um ar ainda mais misterioso.

5 – Okunoshima Island, ou “Ilha dos Coelhos”

Shutterstock

Okunoshima Island é uma ilha que está situada no Japão e ficou conhecida como “a ilha dos coelhos”.

Sua história é pra lá de curiosa: na época da Segunda Guerra Mundial, a ilha era produtora de armas químicas e muitos testes eram feitos por lá. Entre os anos de  1929 a 1945, mais de seis mil toneladas de gás venenoso eram liberados a partir da ilha.

Agora, você deve estar se perguntando… e os coelhos? Bem, não se sabe ao certo como eles foram parar por lá, mas acredita-se que estudantes tenham os levado ainda na década de 70 o que, claramente, sem supervisão, iria promover uma super população desses animais que procriam muito rápido.

A ilha virou um ponto turístico muito procurado por conta de suas belas praias, dos coelhinhos fofos que interagem com os turistas e também pelas fábricas abandonadas, que guardam um dia o passado do local durante a maior guerra que o mundo já viveu.

4 – Palmyra, a ilha assombrada do pacífico

Wikipedia

No norte do Pacífico está localizada uma ilha oceânica em forma de anel, o que se denomina como “atol”.

A formação de corais faz a ilha ser um paraíso incrível, mas existe um probleminha que faz de Palmyra um destino não muito desejado: sua fama de possuir atividade sobrenatural.

De acordo com alguns relatos de muitos, muitos séculos Palmyra é uma “ilha maldita”. E até hoje as pessoas que visitam o local afirmam se sentirem mal ou terem alguma reação estranha, sem contar alguns mistérios não resolvidos que ocorrem por lá desde 1798.

Nesta época, o marinheiro e capitão americano Edmund Fanning, estava a caminho da Ásia a bordo do navio Betsy e relatou ter tido muitas dificuldades para dormir durante a viagem. Ele então ordenou à sua tripulação que pudesse atracar em algum lugar e foi em Palmyra que ele encontrou um refúgio.

O capitão não conseguiu registrar oficialmente sua descoberta e, assim, alguns anos depois, em 1802, o navio do capitão Swale, conhecido como capitão Palmyra chegou ao local sem conseguir avistá-lo, o que infelizmente resultou no naufrágio de seu navio, Angel.

Algo muito estranho foi que o navio naufragou na beira da lagoa e seria possível que os sobreviventes nadassem até à costa. Quando investigações se prosseguiram na ilha, foram encontrados seus corpos, brutalmente assassinados, espalhados pelos arredores da ilha. Até hoje, o assassinato implacável dos marinheiros Angel permanece um mistério.

Palmyra ainda serviu de palco para o assassinato de Mac Graham e Eleanor LaVerne, que desceram no local na mesma semana que um ex-prisioneiro havia sido deixado ali. O prisioneiro matou o casal brutalmente, sendo o corpo de Graham nunca encontrado. Já os ossos de LaVerne apareceram como evidência do assassinado seis anos depois de sua morte.

Além dessas existem muitas outras histórias envolvendo a ilha, além de relatos recentes de visitantes que alegam se sentirem “acompanhados” durante todo o trajeto.

3 –  Christmas Island, A Ilha dos Caranguejos

Shutterstock

Se você tem talassofobia ou medo de coisas que vêm do mar, esse não é um lugar bom para se visitar: localizada no oceano índico, Christmas Island, conhecida como “A Ilha dos Caranguejos” é um território pertencente à Austrália que tem apenas 2 mil habitantes e abriga mais de 120 milhões desses animais que constantemente migram e transformam a paisagem em um imenso “mar vermelho”.

Os caranguejos invadem as ruas, pontes e jardins residenciais da ilha durante o processo de migração, o que ocorre aproximadamente  entre os meses de novembro e janeiro. Nesse processo, eles abandonam as florestas da Christmas Island e se locomovem em direção ao mar, para reprodução e desova, o que também proporciona o aumento do turismo na região, já que muitas pessoas anseiam para ver esse espetáculo.

2 – A misteriosa e perturbadora “Ilha das Bonecas”

Wikipedia

Essa ilha está localizada na região de Xochimico, perto da Cidade do México e sua história é pra lá de esquisita: diz a lenda que uma garotinha morreu ali de maneira misteriosa e desde então seu suposto espírito permaneceu rondando a ilha, assombrando pessoas diversas.

O que se sabe da ilha é que durante os anos 50, um homem muito religioso acabou se mudando para lá e, segundo ele, haviam muitos “espíritos malignos” por lá.

 Don Julian viveu na ilha por mais de 50 anos e colocou as bonecas ali para acalmar o espírito da garotinha, o que parece não ter adiantado muito: ele se afogou no mesmo local onde a menininha supostamente teria morrido e isso fez da ilha das bonecas um ponto de visitação para pessoas curiosas que apreciam histórias de terror.

1 – A ilha dos gatos no Japão

Shutterstock

Para encerrarmos essa lista com algo fofo, está aí talvez um destino muito agradável para quem adora gatos: uma ilha inteiramente habitada por eles!

Essa belezinha está localizada no Japão e é um território que consiste em aproximadamente 100 pessoas como moradoras da ilha, o que também faz dela um local agradável para quem prefere a companhia de um gatinho mais do que a companhia de um ser humano não é mesmo?

Sobre a superpopulação de gatos no local, a história é bem curiosa:  durante o século 18 a ilha passava por infestações em massa de ratos, quando muitos gatos foram trazidos ali para combatê-los.

E o processo deu certo: com o problema aparentemente resolvido, os gatinhos acabaram ganhando um santuário e, segundo pescadores da região, os gatos são símbolos de boa sorte.

A ilha recebe visitantes e, caso você queira se hospedar por algumas noites, basta alugar uma pequena cabine confortável, que tem a forma de nada mais nada menos do que a de um gatinho!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.