Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

9 coisas absolutamente bizarras encontradas em praias

Da próxima vez que você for para a praia, mantenha os olhos abertos, pois você encontrar coisas tão bizarras como essas.

Patos de borracha

De todas as coisas caindo de um navio de carga, sem dúvida a mais bonita foi um caixote de 28.000 patos de borracha e outros brinquedos para banho. Eles foram ao mar em 1992, e banhistas de vários cantos do mundo ainda encontram patos de borracha em praias hoje, mais de 20 anos depois.

Muitos dos brinquedos já flutuaram para a terra, mas ainda há milhares deles flutuando em alto mar. Embora a maioria das pessoas prefira que 28.000 poluentes não caíssem no oceano, os brinquedos tiveram um efeito colateral positivo na medida em que já revolucionaram a nossa compreensão de correntes oceânicas.

Os patos foram abandonados no meio do Oceano Pacífico durante uma viagem de Hong Kong para os Estados Unidos, e eles apareceram em lugares distantes como a América do Sul, Austrália, Havaí, Alasca, Escócia, Terra Nova, e o Atlântico. Alguns estão até mesmo congelados no gelo do Ártico.

Homem de Lego gigante

Você nunca sabe que tipo de destroços pode encontrar ao fazer um passeio pela costa – mas mesmo para os que mais visitam praias, tropeçar em um homem de Lego de mais 2 metros de altura é totalmente inesperado. No entanto, versões do Ego Leonard (a figura Lego vista acima), aparentemente, foram parar em terra em pelo menos quatro praias em todo o mundo.

O primeiro avistamento foi em 2007, quando a escultura colorida foi recuperada de um mar perto da Holanda. No ano seguinte, ela foi encontrada em Brighton Beach, Reino Unido; em 2011 ela apareceu em Siesta Key Beach, na Flórida; e em 2012 apareceu em uma praia de Los Angeles, Califórnia. O Ego Leonard sempre tem a mensagem “No Real Than You Are” impressa em seu peito – algo um tanto estranho e gramaticalmente duvidoso.

Globo ocular gigante

Como se tubarões e águas-vivas não bastassem, agora temos mais um motivo para ter calafrios ao entrar no mar: enormes globos oculares flutuantes.

Em 2012, um globo ocular chegou na areia de Fort Lauderdale, Flórida. Ele foi descoberto por um homem que o chutou algumas vezes antes de levar para casa e colocá-lo em sua geladeira. Felizmente, ele não tinha a intenção cozinhar o elemento estranho para o almoço – ele estava simplesmente tentando mantê-lo fresco até que alguém da Comissão de Conservação de Pesca e Vida Selvagem da Flórida (FWC) pudesse recuperar e identificá-lo.

Naturalmente, os rumores de monstros marinhos colossais começaram a se espalhar por toda a área. Autoridades de vida selvagem rapidamente estragaram a diversão, identificando que o globo pertencia a um grande peixe-espada.

Bananas

Em 2007, os moradores de duas ilhas do Mar do Norte holandês devem ter pensado que foram abençoados pelos deuses da fruta quando milhares de bananas verdes surgiram em suas praias. Na realidade, elas vieram de um recipiente que tinha caído de um navio de carga durante uma tempestade. Multidões recolheram as frutas. Na verdade, havia tantas bananas espalhadas pelo litoral que alguns sugeriram doá-las a um zoológico nas proximidades.

Para os moradores de longa data destas ilhas, coletar coisas estranhas na areia não é nada novo. Correntes favoráveis e rotas de navegação nas proximidades das ilhas trazem cerca de duas toneladas de entulho por dia. Nos últimos anos, eles viram as suas praias cobertas com maletas de alumínio, brinquedos para crianças, blusas, e tênis.

Pássaros mortos

“Intoxicação por botulismo” foi a causa oficial de seis mil aves aparecerem mortas em Wasaga Beach, Ontario, em 2011. O botulismo aumentou na região dos Grandes Lagos; ele infecta peixes, e é então passado para aves aquáticas quando ingerem a presa.

Enquanto não é incomum encontrar peixes e aves que foram mortas por toxinas, o incidente de 2011 foi especialmente incomum. O que estava causando o aumento do botulismo? Os cientistas dizem que é uma combinação do aquecimento gradual das águas com condições cada vez mais privadas de oxigênio e níveis mais elevados de bactérias. Uma teoria é que espécies invasoras, como zebras e mexilhões, estão aumentando o problema.

Tênis da Nike

Se por acaso você estiver caminhando na praia e encontrar um tênis da Nike com o código 90 04 06, então você pode ter descoberto um dos famosos (pelo menos para os oceanógrafos) 60 mil Nikes que caíram de um navio em 1990.

Assim como os patinhos de borracha, os cientistas têm monitorado estes sapatos por décadas em um esforço para aprender mais sobre as correntes dos oceanos. Surpreendentemente, eles ainda estavam usáveis depois de tantos anos, o que fez várias pessoas em várias praias do mundo organizarem esforços para encontrar pares de sapatos.

Pés decepados

Pensando bem, você pode querer pensar duas vezes antes de pegar um sapato abandonado na areia, uma vez que há uma boa chance dele conter um pé humano. Isto é especialmente verdadeiro se você vive na Colúmbia Britânica ou no noroeste do Pacífico dos Estados Unidos.

Desde 2007, os frequentadores de praias encontraram pelo menos 10 pés e 5 deles foram rastreados para quatro indivíduos mortos. Os pés identificados pertenciam a várias pessoas desaparecidas. Atualmente, ninguém sabe a quem pertencem os outros pés.

As autoridades não sabem ao certo, mas acreditam que seja o caso de um crime. Uma teoria diz que eles são restos de pessoas mortas no tsunami asiático de 2004. Mas alguns pés eram mais recentes, e todos os pés identificados até agora pertenciam a pessoas locais.

Doritos

Nós imaginamos que todos aqueles que estavam em Outer Banks, na Carolina do Norte, em 30 de novembro de 2006, tiraram a mesma foto: milhares de pacotes de Doritos. Novamente devido a um contêiner de carga que caiu no mar, milhares de pacotes do salgadinho ficaram espalhados na praia.

Tanto os seres humanos como as gaivotas aproveitaram a incomum ocasião. As aves fartaram nos sacos abertos, enquanto as pessoas se esforçavam para recolher os pacotes intactos que, graças à sua vedação hermética, ainda estavam frescos.

O monstro de Montauk 

Nenhuma lista de coisas estranhas estaria completa sem uma menção ao monstro de Montauk. Esse achado foi feito em 2008 em uma praia em Nova York, e manteve-se um objeto de controvérsia desde então.

Autoridades só puderem ver a criatura através de fotografias, mas as imagens foram suficientes para o departamento de Recursos Naturais e vários zoólogos atrelarem rapidamente a coisa a um guaxinim morto, inchado, e em decomposição. Enquanto alguns afirmaram que as pernas do monstro de Montauk eram muito longas para serem de um guaxinim, zoólogos desmascararam essa noção, explicando que os guaxinins têm sim pernas longas, e que as suas proporções dos membros, na verdade, correspondem aos do “monstro”. Além disso, o que muitos chamaram de bico é na verdade os ossos pré-maxilares expostos. Além disso, imagens compostas de um corpo de guaxinim e do monstro de Montauk mostram uma combinação perfeita. [ListVerse]

Comentários
Carregando...