Notícias e artigos sobre ciência, incluindo espaço, biologia, arqueologia, e muito mais.

7 fatos curiosos sobre traições em relacionamentos que todo mundo deveria saber

O que será que leva alguém a trair seu próprio companheiro, já que, por escolha própria, decidiu estar com aquela pessoa em questão?

Alguns estudos explicam – confira a seguir os 7 fatos curiosos sobre traições em relacionamentos que todo mundo deveria saber para, quem sabe, colocar as cartas na mesa enquanto ainda há tempo:

7 – A dependência financeira propicia um maior aumento nas chances de trair

Uma pesquisa realizada em 2015 reuniu cerca de 2,8 mil pessoas entre 18 e 32 anos, revelando, a partir dos resultados, que aquelas que tinham mais chances de trair seus parceiros eram dependentes deles, a partir de testes feitos com os voluntários.

Outro dado obtido que é muito interessante foi a faixa salarial compatível, sendo que as chances de traição diminuem muito nesses casos. Foi constatado que, caso o salário masculino fosse 30% inferior ao da esposa havia uma maior chance de ocorrer traições, algo que não foi visto no comportamento feminino com a mesma desigualdade salarial.

O teste foi publicado em 2005 pela American Sociological Review.

6 – Homens e mulheres possuem comportamentos diferentes após flertarem com outras pessoas

Um estudo feito em 2008 e publicado no periódico Interpersonal Relations and Group Processes mostrou que homens e mulheres atuam de maneira diferente depois de flertarem com terceiros. Um homem, a título de exemplo, começa a se tornar menos tolerante com sua parceira enquanto as mulheres se tornam mais tolerantes às falhas dos homens.

5 – Traições com parceiros do mesmo sexo são mais fáceis de serem aceitas

Um estudo de 2015 publicado no periódico Personal Relationships mostrou que os homens mostravam-se mais compassivos ao verem suas mulheres os traindo com outras mulheres do que com um homem.  E o mesmo serve para elas: a superação e aceitação mostrou-se ser mais rápida quando um homem a traia com outro homem.

4 – Homens e mulheres sentem a traição de maneira diferente

Os homens mostraram, em um estudo feito em 2013 pelo Evolutionary Psychology, maior desapontamento quando suas parceiras traiam com envolvimento sexual ao invés de emocional. Já as mulheres se sentiram desapontadas quando seus parceiros possuíam envolvimento emocional com outra mulher, mesmo se a traição em si não envolvesse relação sexual.

3 – Datas marcantes são um terreno fértil para a traição

Um estudo de 2014 publicado pela National Academy of Sciences mostrou que aniversários marcantes, como de 20, 30 ou 40 anos de casamento, entre outros, são datas mais propensas à infidelidade de ambos os lados, sendo as masculinas de maior proporção.

2 – Traição pode ser um comportamento genético

Um estudo conduzido pela Universidade de Queensland, na Austrália, constatou que a infidelidade era mais comum em pessoas que tinham tipos específicos de genes receptores de oxitocina e vasopressina, de modo que a cada dia que passa a ciência procura desvendar mais as causas desse tipo de comportamento.

Já outro estudo, feito pela faculdade Weill Cornell Medicine dos Estados Unidos mostrou que a vasopressina é um hormônio extremamente relacionado às  questões sociais, como a empatia, a confiança e a sexualidade. Para ironia dos fatos,  40% das traições femininas e 62% das masculinas tinham influência de seus genes.

1 – A traição só é impedida pela moralidade

Um estudo conduzido por pesquisadores da Journal of Sex Research em 2017, mostrou que os filhos e as obrigações sociais na verdade são os principais fatores que impedem as pessoas de traírem umas às outras. Na ordem, esses fatores que impedem a traição são:

  1. Impacto sobre os filho
  2. Medo de ficar sozinho
  3. O impacto da traição no amante e na família.

Impressionante, não? [Business Insider]

Comentários
Carregando...