6 filmes que foram proibidos por motivos bizarros ao redor do mundo

O cinema constitui uma das formas mais abrangentes de expressão de pensamentos, ideias e ideologias. No entanto, sua liberdade até hoje é relativa e subjetiva, visto que muitos países e governos ao redor do mundo não medem esforços para filtrar aquilo que a população pode assistir nas telinhas.

Confira alguns dos motivos mais curiosos que já foram alegados para a proibição de filmes no mundo inteiro:

1. Falar em religião.

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Na China comandada por Mao Tsé-Tung, o filme “Ben-Hur: Uma história dos tempos de Cristo” foi proibido por falar em religião e “fazer propaganda de crenças supersticiosas”. Sendo um país que desencorajava as religiões ocidentais, o filme realmente era uma “afronta” para quem acreditava que se deveria rejeitar tudo o que vinha de fora da China.

Entretanto, como a China há muito tempo é um país multi-cultural, a medida não foi nem um pouco generosa e simpática para os cristãos que viviam por lá.

O mais curioso, no entanto, é que outros filmes, como “Noé” e “O Código da Vinci” também já foram proibidos na China por motivos de “blasfêmia” e “desdém com figuras religiosas”.

Como dizem, é “oito ou oitenta”, não?

2. Shrek 2 proibido em Israel.

Quem já assistiu ao filme Shrek 2 sabe que trata-se de um filme bastante inocente, feito principalmente para o público infantil. Mesmo assim, a obra foi proibida inicialmente em Israel, mas a culpa não estava no roteiro do filme original, e sim na dublagem para a língua do país.

Ao que tudo indica, alguém propositalmente adicionou uma piada, que fazia sentido apenas para o público de Israel, e que não agradou os distribuidores do filme.

Em determinada cena, um grupo de personagens cerca um homem, e começa a deliberar sobre como vão puní-lo. Eis que um dos personagens diz: “Vamos fazer nele um David D’Or!”.

David D’Or, caso você não saiba, é um cantor israelense conhecido por sua voz extremamente aguda – o que para alguns é um prato cheio para associar a frase acima com a castração.

Para que o filme fosse liberado, a cena precisou ser editada.

3. O Grande Ditador.

Charlie Chaplin
Wikipedia

Trata-se do primeiro filme com voz de Charlie Chaplin, que aborda o tema do fascismo e denuncia uma série de práticas abusivas feitas por governos ditatoriais da época. Justamente por isso fora proibido em alguns países da América do Sul que simpatizavam com o nazismo, bem como na própria Alemanha nazista.

4. Noé.

Além de ter enfrentado algumas restrições na China, como já fora mencionado, o filme “Noé” também foi proibido em alguns países do Oriente Médio, onde há maior força do islamismo. Em certas localidades islâmicas, é proibido que qualquer tipo de produção artística ou cultural faça menção a profetas, como Noé.

5. Simpsons.

Em uma medida que foi vista com comicidade por grande parte da comunidade internacional, o Myanmar decidiu banir o desenho “Simpsons” em 2007, afirmando que as cores predominantes da obra, o amarelo e o vermelho, remetiam a cores “rebeldes”, o que poderia incitar a juventude do país e grupos rebeldes.

6. Holocausto Canibal.

Holocausto Canibal é um filme bizarro, perfeito para quem gosta do mais “thrash” dos filmes de terror. Um dos precursores da ideia de produzir filmes em primeira pessoa, em um estilo parecido com A Bruxa de Blair, por exemplo, trata-se de uma obra do gênero gore que assustou todo o público que teve a oportunidade de assisti-lo em meados de 1980. Como o estilo ainda não era muito difundido à época, muitos acreditavam que as imagens, extremamente violentas, realmente haviam sido encontradas de verdade.

Se por muito menos vários filmes eram proibidos no passado, nem é preciso falar sobre as restrições que Holocausto Canibal recebeu no mundo inteiro. Até hoje, em muitos países, pode ser um verdadeiro desafio conseguiu assistir o filme em qualquer lugar fora da Internet.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.