5 pessoas que morreram para provar coisas bastante idiotas

A história está repleta de grandes homens e mulheres que deram a vida por uma causa que acreditaram. O que os livros de história não lhe dizem, no entanto, é sobre o pequeno punhado de pessoas ‘cabeças duras’ que deram suas vidas por causas que realmente não importavam, a não ser para si mesmas.

Veja só 5 pessoas que provaram um ponto muito importante – que é realmente fácil morrer fazendo algo estúpido:

5 – Franz Reichelt

O que ele tentou provar:

Que ele era um inventor incrível e que a lei da gravidade simplesmente não se aplicava a ele.

O método:

Franz Reichelt, um alfaiate de profissão, sonhava em inventar um acessório de moda que permitisse com que a pessoa voasse com segurança até o chão depois de cair de uma grande altura.

O que ele realmente provou:

A Lei de Newton da gravitação universal.

Mais especificamente, ele provou que cair de uma grande altura resultaria em morte, mesmo que você usasse uma dessas roupas convenientes e confortáveis.

4 – Bando Mitsugoro VIII

O que ele tentou provar:

Que ele era invencível, pelo menos até onde veneno estava envolvido.

O método:

Bando Mitsugoro VIII era um ator japonês bom o suficiente para ser chamado de “tesouro nacional vivo” pelo governo japonês, um título que se tornou particularmente comovente em 1975, quando ele bateu as botas.

Em 16 de janeiro daquele ano, Mitsugoro foi a um restaurante com amigos e pediu quatro “fugu fivers”. Isso é conhecido na sociedade ocidental como “fígado de baiacu” ou “um desejo pela morte”, já que os peixes são extremamente venenosos.

A intenção de Mitsugoro era provar sua imunidade ao veneno ao ingerir quatro vezes a quantidade que normalmente mataria uma pessoa.

O que ele realmente provou:

Que nenhum ser humano é imune ao veneno.

3 – Garry Hoy

O que ele tentou provar:

Que vidros em alturas exorbitantes são inquebráveis.

O método:

Garry Hoy era um advogado de Toronto, no Canadá, cuja fama foi conquistada através de piadas de “últimas palavras”. Essas últimas palavras diziam respeito a como as janelas de vidro de seu escritório de 24 andares no Toronto-Dominion Center eram “inquebráveis”.

O que ele realmente provou:

Como você deve ter adivinhado, Garry testou sua pequena teoria, jogando seu corpo contra o vidro. Ele atravessou a janela e mergulhou para sua morte, deixando um grupo de estagiários desesperados.

O que é chocante sobre esta história é que a janela só quebrou na sua segunda tentativa. Aparentemente, Garry não estava satisfeito de ter arriscado sua vida apenas uma vez.

2 – Jeff Dailey e Peter Burkowski

O que eles tentaram provar:

Que eles eram os homens de ferro da cena dos videogames dos anos 80.

O método:

Jeff Dailey e Peter Burkowski eram adolescentes e ávidos jogadores de videogame, com 19 e 18 anos, respectivamente. Seu jogo de escolha foi o popular hit dos árcades, “Berzerk”, no qual os jogadores controlam um boneco que está preso em um labirinto perigoso, habitado por inimigos robôs.

Jeff e Peter tinham uma paixão pelo jogo que beirava à obsessão. Eles pressionavam seus limites dia após dia, determinados a provar de uma vez por todas que eles eram os mestres indiscutíveis dos videogames.

O que eles realmente provaram:

Se você está em condições físicas ruins o suficiente, até os videogames pode ser um esporte radical.

Em 1981, Jeff Dailey morreu de um ataque cardíaco depois de ter feito uma impressionante pontuação de 16,660. Um ano depois, Peter Burkowski conseguiu duas pontuações mais altas e também morreu de ataque cardíaco pouco depois.

1 – Jennifer Strange

O que ela tentou provar:

Que beber água demais nunca poderia realmente acabar matando você.

O método:

Jennifer Strange era uma mulher de 28 anos e mãe de três filhos, da Califórnia. Tanto quanto sabemos, ela viveu uma vida perfeitamente normal, até que ela viu a chance de tentar conseguir o brinquedo quente do ano: um Nintendo Wii. Pais estavam faziam filas no meio da noite para conseguir um desses.

Em 2007, a estação de rádio KDND 107.9 realizou uma competição habilmente intitulada “Segure seu xixi por um Wii”, em que os participantes tiveram que consumir grandes quantidades de água sem usar o banheiro. O prêmio era um Nintendo Wii e Jennifer Strange sentiu que precisava tanto de um que iria contra sua própria biologia para provar que não precisava urinar.

O que ela realmente provou:

Jennifer morreu de uma condição conhecida como “intoxicação por água”, que é causada quando grandes quantidades de líquidos são levadas para o corpo e resultam em um desequilíbrio eletrolítico fatal no cérebro.

Vendo tudo isso, podemos concluir uma coisa: é melhor aceitar que está errado que dói menos!

[Cracked]

Comentários
Carregando...